Carmina Juarez canta inéditas de seu novo álbum

Considerada uma das mais gratas surpresas da MPB nos anos 90, a cantora paulistana Carmina Juarez mostra amanhã, às 20h30, no palco do Teatro São Pedro (R. Barra Funda, 171, tel.: 3667-0499), músicas de seus dois primeiros trabalhos e algumas canções inéditas que estarão no seu próximo disco. Carmina avisa que o novo álbum será uma antítese dos seus dois discos anteriores, que seguiam uma linha mais jazzística. "O que vem por aí deverá ser mais leve e alegre, com poucas baladas e com um repertório mais para cima", explica.Acompanhada do violonista Jardel Caetano e do baterista Sérgio Reze, a cantora procurou obras de compositores contemporâneos para figurar em seu novo álbum, chamado Flor. Entre os nomes escolhidos, estão Consuelo de Paula (Rio Palmeiras), Sérgio Rocha (Curtim-Curtim), Nando Reis (Segundo Sol) e Carlinhos Brown (Argila).Carmina também inclui no repertório quatro medalhões muito bem conhecidos pelo público: Caetano Veloso (Malacaxita II, parceria com P. Gomes), Gilberto Gil (Realce) e a dupla John Lennon e Paul McCartney (com Blackbird).Filha do maestro Benito Juarez (fundador da Orquestra Sinfônica de Campinas e regente do Coralusp), Carmina começou a cantar aos 12 anos no Coral da Universidade de São Paulo. Resgatando os bons músicos e compositores da MPB - que ficaram esquecidos em nossa memória -, Carmina lançou em 1996 o seu primeiro CD, Arrasta a Sandália, com músicas pouco conhecidas de Jaques Morelenbaum, Proveta, Djalma Corrêa e Oswaldinho do Acordeon.Em seu segundo CD, Tenho Saudade, Carmina continuou com a proposta de "redescobrir as canções inéditas" e homenageou Elisinha Coelho, considerada por Ary Barroso como a "rainha da canção". As faixas Minha Palmeira Triste e No Rancho Fundo, ambas compostas por Ary Barroso e Lamartine Babo, que Carmina também interpreta no show, demonstram amadurecimento em interpretações cuidadosas.Carmina Juarez em "Flor" - Amanhã, às 20h30, no Theatro São Pedro (R. Barra Funda, 171, tel.: 3667-0499). Ingressos custam R$ 16.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.