Carmen McRae, uma cantora para poucos ouvintes

Artista, que faria 90 anos no último dia 8 de abril, foi fortemente influenciada por Billie Holiday

Emerson Lopes, especial para o estadão.com.br,

13 de abril de 2010 | 18h53

Carmen McRae foi tão boa como vocalista quanto como instrumentista. Poucas cantoras foram tão boas como ela. Talvez Shirley Horn e, hoje em dia, Patricia Barber podem ser comparadas a ela. A jornada de Carmen começou cedo, com pouco mais de 20 anos de idade, ela já dedilhava seu piano em orquestras como Benny Carter e em seguida ao lado de Count Basie.

 

som Ouça o podcast Jazzy sobre a cantora

 

Sua grande influência sempre foi Billie Holiday. Isso ficou registrado no disco Sings Lover Man and Other Billie Holiday Classics, lançado em 1961, dois anos após a morte de Lady Day. Aqui, ela interpreta clássicos como My Man, God Bless The Child e Strange Fruit.

 

Nascida em 8 de abril de 1920, Carmen McRae morreu em 1994, mas deixou um legado importante para uma nova geração de cantoras que apareceu no início dos anos 90, entre elas, Diana Krall, Cassandra Wilson e Dianne Reeves.

 

Escute neste podcast Jazzy discos clássicos como Alive, Sarah: Dedicated to You e o tributo a Billie. Além disso, ainda há uma supresa deliciosa, Carmen cantando Flor de Lis, de Djavan.

Mais conteúdo sobre:
Carmen McRae

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.