Carlos do Carmo e Ivan Lins em noite de fado e MPB

Um dos maiores fadistas portugueses contemporâneos, Carlos do Carmo, faz apresentação única, hoje, na Sala São Paulo, com participação de seu amigo e parceiro, o cantor Ivan Lins. Com seu conjunto de instrumentistas, que tocam duas guitarras portuguesas e um violão, Carlos do Carmo interpretará sucessos seus como: O Amarelo da Carris, Um Homem na Cidade, Gaivota, Duas Lágrimas de Orvalho, Maior Menor, Recado a Lisboa, Voz Marinheira e as Canoas do Tejo. Já com Ivan Lins o cantor apresentará cinco músicas: As Pastorinhas, Iluminados, Vitoriosa, Ai, Ai, Ai, Ai, Ai e Meus Pais. "O Ivan é um grande amigo e parceiro. Já tocamos juntos inúmeras vezes, tanto aqui quanto lá em Portugal. Particularmente, é uma pessoa de quem eu gosto demais e posso afirmar que é uma das melhores coisas da vida tocar com ele", elogia Carlos do Carmo. O show, organizado pela Embaixada de Portugal no Brasil, o Conselho da Comunidade Luso-Brasileira do Estado de São Paulo e o Fundo Social de Solidariedade do Estado de São Paulo, reverterá a renda obtida para as obras do Hospital Geral Vila Nova Cachoeirinha. Carinho pelo Brasil O lisboeta Carlos do Carmo, filho de Lucília do Carmo, uma das maiores fadistas que Portugal já teve neste século, começou a cantar em 1963. Hoje, com 36 anos de carreira, após inúmeros prêmios e grandes sucessos de vendas, o cantor se sente, como ele mesmo define, extremamente feliz e realizado. "É muito bom fazer o que se gosta, principalmente tendo um público tão fiel e receptivo quanto o meu." Além de ter marcado a história da discografia portuguesa como o primeiro a ter editado um CD em Portugal, intitulado Um Homem no País, Carlos do Carmo já divulgou a música portuguesa pelo mundo. Ele tem passagens marcantes pelo Brasil, como os concertos realizados no Canecão, no Rio de Janeiro, e no Memorial da América Latina, em São Paulo. Carlos do Carmo e Ivan Lins - Sala São Paulo (Praça Júlio Prestes, s/nº, tel.: 3337-5414). Ingresso: R$ 70 (com direito a coquetel). Às 20h30.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.