Wilton Junior/AE
Wilton Junior/AE

'Cariocas Empolgados' trazem Belle & Sebastian ao Rio

Cansados de esperar por seus ídolos, amigos fazem 'vaquinha' e levam ao Rio bandas que não iriam por lá

Lúcio Ribeiro, Especial para o Estado

02 de outubro de 2010 | 06h00

Em meio a um segundo semestre lotado de shows internacionais, de estilos e tamanhos variados, que vai de grandes festivais a apresentações em clubinhos, eventos a la Woodstock ou concertos indie-jazz na Sala São Paulo, com atrações como um ex-beatle ou uma bandeca canadense, em meio a tudo isso esta talvez seja a história pop mais saborosa do ano.

 

Cinco amigos do Rio de Janeiro, fãs de música independente, à toa na vida musical e vendo as bandas passarem (em direção a São Paulo, Belo Horizonte, Porto Alegre), resolveram mudar essa situação com as próprias mãos. Ou melhor, com o próprio bolso.

 

Numa atualização anos 00 do ‘do it yourself’ (faça você mesmo) punk, os amigos Bruno, Tiago, Felipe, Pedro e Lucas criaram um moderno "pay it yourself" e montaram uma ação na internet entre fãs cariocas de rock para comprar os shows de bandas que gostam para o Rio de Janeiro.

 

Acostumados a ver o Rio ficar fora da rota de shows internacionais que costumam vir a São Paulo e pular para outras praças por causa do círculo vicioso "pouco público - produtores ressabiados" em se tratando de rock independente, a turma de amigos elaborou uma estratégia nunca ou bem pouco vista no cenário do rock.

 

A ação, que consiste em uma vaquinha online para levantar o dinheiro do cachê de bandas indies e tornar possível a realização de shows no Rio de Janeiro, já rendeu a apresentação na cidade da banda sueca Miike Snow no último dia 20 de setembro. E o grupo de amigos, autointitulado 60 Cariocas Empolgados, em referência ao número de pessoas que juntas financiaram o show sueco no Circo Voador, anunciou nesta semana a apresentação da cultuada banda escocesa Belle & Sebastian para o dia 12 de novembro, para o mesmo Circo Voador.

 

Se a ação dos Cariocas Empolgados é importante para o Rio de Janeiro voltar a receber shows internacionais? A resposta é clara: (1) o Miike Snow tocou nos principais festivais de música jovem do mundo em 2010, de Coachella (EUA) a Glastonbury (Reino Unido). E estava vindo ao Brasil para tocar em São Paulo, Recife e Porto Alegre. Nenhum produtor do Rio havia se interessado na banda. (2) o Belle & Sebastian havia dedicado duas datas ao Brasil nesta próxima turnê pela América do Sul. São Paulo era certo. Belo Horizonte tinha até local reservado, mas o Rio de Janeiro, graças à empolgação atuante, levou o segundo show para lá.

 

O documentarista Bruno Natal, um dos Cariocas Empolgados que idealizaram o ‘pay it yourself’ roqueiro, explica a conta que precisou ser feita pela união do rock para viabilizar shows indies no Rio.

 

"A ideia surgiu da necessidade. Soubemos que o Miike Snow não viria ao Rio e, como somos amigos do pessoal do Circo Voador, soubemos também do valor necessário para trazer a banda, que era aproximadamente R$ 20 mil de custos com o artista (cachê, transporte, hospedagem, alimentação etc). Logo percebemos que, divididos por um número grande de pessoas, o valor não era impraticável. E para nós ficou claro que esse show deveria acontecer."

 

Tiago Lins , diretor de TV, outro dos Cariocas Empolgados, apresentou aos parceiros uma conta que mostrava que juntos poderiam reembolsar todos que ajudassem a viabilizar o show, caso ele fosse um sucesso. "A conta era tão simples e direta que tínhamos que pelo menos tentar", conta Natal.

 

Eles então dividiram os R$ 20 mil em 100 partes de R$ 200. Como quatro empresas se interessaram em entrar no racha, adquiriram 10 partes cada, o número necessário de pessoas para fechar a conta caiu para 60. "Apresentamos a ideia para o Circo Voador, eles aprovaram e falamos então com a produtora da turnê do Miike Snow no Brasil, que ajudou na operação de convencer a banda a tocar no Rio", conta o empolgado Natal. Como era preciso fechar as datas com a banda, eles tinham apenas dois dias para levantar todo o valor. E, assim, seguiram com a operação. "Enviamos um e-mail para uma lista de 120 pessoas que tínhamos certeza de que iam entender a importância da mobilização para além do gosto pessoal em relação à banda. Em dois dias levantamos todo o dinheiro e fechamos o evento."

 

Era preciso vender 480 ingressos para um show de uma banda indie sueca no Rio de Janeiro numa segunda-feira à noite para que os custos dos Cariocas Empolgados fossem zerados. E, graças ao barulho que o grupo fez na internet, desta vez para divulgar o show e fazer os indies do Rio saírem de casa, o Circo acabou recebendo mais de 800 pagantes. Cada um dos fãs-investidores recebeu seu dinheiro de volta. E, no fim, acabou entrando de graça no show.

 

O Miike Snow no Rio foi uma operação de galera que acabou dando um pequeno lucro, utilizado para reembolso de gastos como impressão de pôsteres e camisetas distribuídos aos 60 empolgados, mais banners de agradecimentos pela ação que foram espalhados pelo Circo Voador e os extras (telefones, transporte para um sem-número de reuniões). A conta zerou e o Rio teve seu show indie de uma banda em ascensão como o Miike Snow em 2010, exatamente como as principais cidades do mundo.

 

‘Ficamos emocionados’. E o que as bandas acham da iniciativa dos 60 Cariocas Empolgados, que na verdade agora são 140, porque fazer o Belle & Sebastian no Rio de Janeiro custa mais caro?

 

"Eu nunca soube de nada perto disso que aconteceu no Rio, ficamos muito emocionados", disse o vocalista do grupo Miike Snow, Andrew Wyatt, que é americano. No show, Andrew fez questão de agradecer aos participantes da ação indie.

 

"Isso é incrível", falou por e-mail Stuart Murdoch, líder do Belle & Sebastian, exaltado. "Se nosso show no Rio vai acontecer por causa desses fãs, vamos fazer de tudo para não desapontá-los."

 

Os outros "cabeças" do grupo dos Cariocas Empolgados são Felipe Continentino (diretor de TV), Lucas Bori (fotógrafo) e Pedro Seller (produtor cultural). O próximo alvo dos investidores indies: o grupo francês Phoenix, que vem ao Brasil em novembro para tocar no festival Planeta Terra e em um show solo em Belo Horizonte. No Rio? Só se for pelas mãos dos Cariocas Empolgados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.