Carioca arremata guitarra de B.B. King por R$ 46 mil

O marchand carioca Miguel Salles conta que já saiu de sua casa, em Petrópolis (RJ), com "más intenções". Na noite de quarta-feira, com um lance imbatível de R$ 46 mil, ele arrebatou num leilão na casa de shows Bourbon Street, em Moema, São Paulo, a guitarra Gibson preta de B.B. King, o Rei do Blues, a famosa "Lucille". A guitarra foi leiloada por volta das 21h30, antes do início da turnê de King, com shows em São Paulo, Rio, Curitiba e Brasília (confira datas, locais e preços). Uma hora depois, quando B.B. King já estava no meio de seu mais famoso solo, o da canção The Thrill Is Gone (composição de 1970), Salles por sua vez estava nas nuvens no meio do Bourbon Street. "É extraordinário, um espetáculo de verdade, ele, a interação com a banda toda, a entourage", dizia.No entanto, o lance de Miguel para ficar com a guitarra de King não foi um arroubo de fã. Ele já tem uma coleção respeitável de instrumentos de cordas, com 80 peças - entre elas, um violão assinado por Bob Dylan, uma guitarra Fender Stratocaster que pertenceu a Eric Clapton, outra que foi de Ringo Starr e peças de Jimmy Page e Robert Plant, entre outros. Logo após o leilão, ele foi conduzido ao camarim de King pelo empresário do artista, que o apresentou da seguinte maneira ao guitarrista: "Esse é o cara que pagou US$ 15 mil na guitarra."King o olhou de um jeito meio enternecido e também algo surpreso. Uma guitarra como a de King, fabricada numa série especial pela Gibson, custa algo em torno de US$ 3 mil (o lance mínimo para entrar no leilão era R$ 10 mil). "Você pretende tocar a guitarra?", perguntou-lhe King. "Eu lhe disse que não, que era um colecionador, que tinha outras e ele quis saber mais sobre a coleção", contou depois o marchand que, em Itaipava, é sócio numa galeria de arte da princesa Cristina de Orleans e Bragança, bisneta da princesa Isabel. No leilão, além da guitarra Lucille, foram vendidos outros objetos do Rei do Blues, como um blusão e um disco autografado (arrematado por R$ 6 mil). Foram arrecadados R$ 67 mil, que serão destinados à Associação Cruz Verde, que atende crianças com paralisia cerebral.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.