Cantora argentina arrasa no forró

Nem Jackson do Pandeiro esperaria por essa. No forró pé-de-serra, onde tudo pode acontecer, desponta uma argentina arretada que está dando o que falar em um dos arrasta-pés mais disputados da cidade. Quem passa pelo Canto da Ema, aos domingos, se segura para não cair pra trás. À frente de quatro marmanjos que gostam de tocar alto, a portenha Maria Paula Godoy canta baião como quem nasce comendo sarapatel de bode.Ela nasceu ouvindo Jimi Hendrix, B.B. King, Etta James e torcendo para Maradona e Batistuta. Após chegar ao Brasil, com seis anos de idade, foi viver em Campinas. Montou por lá uma banda de blues e jamais soltou um ?Oxente? na vida. Isso até que um amigo ligou para convidá-la a formar o Bando de Maria.Seu ?bando? lançou o disco de estréia há dois meses, sem nenhum alarde de mídia. A produção ficou com Tato, vocalista do Falamansa, e o que veio foi uma espécie de hard-forró, um estilo mais pesado do que fazem os grupos de forró universitário em geral. São, em sua maioria, músicas próprias.A ?guapa? do forró tem se dado tão bem que seu álbum já tem previsão de ser lançado na Europa e em países da América Latina. Em maio de 2004, o Bando de Maria irá participar de um festival de cultura brasileira na Espanha. E mais: a próxima prensagem do disco terá uma versão em espanhol para a música Tiro de Bodoque. A intenção é lançar o disco todo com as músicas traduzidas para o castelhano.Enquanto o estrelato não vem, Maria Godoy segue firme no circuito ?forrozístico? de shows. Nos meses ruins, faz dez shows. Nos melhores, 19. ?Eu confesso que tinha um preconceito no começo. Falava ?não, estou longe disso?. Mas levantei a bandeira do forró. É um outro astral, uma outra pegada em comparação com o blues que eu cantava antes. Estou me divertindo muito.?

Agencia Estado,

10 de dezembro de 2003 | 16h56

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.