Cantor e compositor Lucas Santtana fala sobre o disco 'Sobre Noites e Dias'

Músico baiano faz dois shows em São Paulo neste fim de semana

João Paulo Carvalho, O Estado de S. Paulo

05 Setembro 2014 | 20h00

Lucas Santtana tem a fala calma. Para, pensa, respira e gesticula um pouco antes de dar continuidade à sua linha de raciocínio. "Veja bem", diz em vários momentos. Quem vê o músico se expressar de maneira tão pausada, quase deixando as palavras encontrarem por elas mesmas o melhor caminho para as inúmeras perguntas, não imagina que ele também tem pressa.

Sexto disco da carreira do cantor e compositor, Sobre Noites e Dias fala da relação homem/máquina e quanto isso afeta nossas vidas. "Ninguém quer desperdiçar um único segundo sozinho. Parece que estamos perdendo um pouco o chamado tempo humano. A máquina sempre nos tira a atenção. Todo mundo tem que pegar o celular, responder ao e-mail ou jogar algum game. E eu, claro, também faço parte disso", afirma o baiano que recebeu a reportagem do Estado em um estúdio na zona oeste da capital paulista para falar sobre seu novo álbum e os dois shows que fará em São Paulo neste sábado e domingo, no Sesc Vila Mariana.

Filho do produtor musical Roberto Sant'Ana, Lucas acaba de lançar seu trabalho mais universal. Com um viés totalmente eletrônico, as composições abusam dos chamados sons sintéticos nunca tão explorados.

Sobre Noites e Dias traz canções em português, inglês e espanhol, além de contar com a participação da atriz francesa Fanny Ardant. "Vi vários filmes dela, em Salvador, quando era adolescente. Sempre associo Fanny a um período maravilhoso da minha vida. Achei que seria algo impossível de acontecer", lembra.

A musa do diretor François Truffaut recita um trecho da música Human Time em francês. "Depois de algum tempo, a gravadora confirmou a participação da Fanny. Fiquei muito surpreso. Não estava esperando. Fiz uma tradução às pressas da letra e mandei. Não domino o idioma e tive muitas dificuldades. Ela foi simpática e respondeu rapidamente. Disse que havia adorado a letra, mas gostaria de fazer a própria tradução. Óbvio que entendi", complementa Lucas.

Além de Fanny Ardant, o trabalho conta ainda com a participação de Camila Pitanga. A atriz faz beatbox na emblemática canção Funk dos Bromáticos. "Ninguém conhecia essa vertente da Camila. Além disso, ela canta muito bem. Quando rolou o convite, entretanto, o disco já estava quase pronto, com as parcerias todas fechadas e, infelizmente, não tive a oportunidade de chamá-la para cantar", afirma também.

Nos dois shows de lançamento do disco, Lucas Santtana vai se apresentar apenas com os integrantes da banda: Buarque e Malta, o baixista Bi Ribeiro (Paralamas do Sucesso) e o grupo Metá Metá (Kiko Dinucci, Thiago França e Juçara Marçal), que também participaram do CD. "Tocar com o Bi Ribeiro, dos Paralamas, é um sonho. É como se você estivesse no estádio de futebol, vendo seu ídolo jogar e, depois de algum tempo, passasse a tabelar com ele. Os Paralamas revolucionaram a música na década 1980. Ensinaram-me que o rock é um jeito de tocar qualquer estilo de maneira mais agressiva e contundente. Eles foram muito importantes para a minha formação musical", conclui.

LUCAS SANTTANA

Sesc Vila Mariana. Rua Pelotas, 141, tel. 5080-3000. Sáb., às 21 h, dom., às 18 h. R$ 24.

Mais conteúdo sobre:
Lucas Santtana Sobre Noites e Dias

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.