Reprodução/robingibb.com
Reprodução/robingibb.com

Cantor dos Bee Gees deixa de vir ao Brasil por problemas de saúde

Gibb foi internado no Reino Unido no último domingo, 3, às pressas e foi aconselhado a não viajar

Estadão.com.br,

05 Abril 2011 | 13h16

Robin Gibb anunciou que não virá ao Brasil. Em seu site, ele não menciona se adia ou cancela a turnê Bee Gees Greatest Hits Tour by Robin Gibb. Apenas diz que não poderá comparecer. No comunicado, Gibb diz que posterga também o encontro com a presidente Dilma Rousseff.

 

Gibb sentiu dores abdominais nas primeiras horas do domingo, 3 de abril, no Reino Unido. Uma ambulância foi chamada, ele foi internado e advertido para não viajar.

 

A série de concertos estava programada para acontecer em Curitiba (Expo Unimed), Porto Alegre (Pepsi On Stage), São Paulo (dois shows no Via Funchal), Brasília (Ginásio Nilson Nelson) e Cuiabá (Centor de Eventos Pantanal). Apenas o site jornale.com.br afirma que o show de Curitiba foi remarcado para o dia 19 de abril. A apresentação deveria acontecer nesta terça-feira, 5.

 

Em seu site oficial, o cantor dos Bee Gees pede desculpas a todos os fãs na América do Sul e a todas as pessoas envolvidas na realização dos shows em espcial aos Web Rockers, Midia Digital Ltda e Poladian Produções.

 

Ano passado, Gibb já tinha se submetido a uma cirurgia de intestino. Após a operação, ele voltou a gozar de boa saúde.

Os Bee Gees desmancharam a sua parceria em 2003, com a morte de Maurice Gibb. A partir daí os irmãos Barry e Robin continuaram com trabalhos solo. Desde então Gibb lançou três discos e fez turnê pelo Brasil. A banda começou em 1963.

 

Entre seus maiores sucessos estão Spicks And Specks, Cherry Red, I Started a Joke, New York Mining Disaster 1941, Massachusetts, I´ve Gotta Get a Message To you, Jive Talkin, Stayin´Alive, Night Fever, How Deep is Your Love e More Than a Woman, algumas delas ferveram na trilha do filme Os Embalos de Sábado à Noite.

Mais conteúdo sobre:
Bee Gees Robin Gibb

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.