Cantor de 'Gangnam Style' se desculpa por antigas canções contra os EUA

O cantor pop sul-coreano Psy, autor do sucesso viral "Gangnam Style", se desculpou por antigos shows com músicas contra os Estados Unidos às vésperas de um espetáculo com a presença do presidente norte-americano, Barack Obama, e sua família comparecerão.

Reuters

09 de dezembro de 2012 | 14h01

Psy divulgou o pedido de desculpas depois de surgirem relatos nos Estados Unidos na sexta-feira sobre sua participação em dois shows críticos aos militares norte-americanos em 2004.

O vídeo de "Gangnam Style" é atualmente o mais visto de todos os tempos no YouTube, com mais de 900 milhões de acessos desde que foi lançado em julho.

"Embora esteja agradecido pela liberdade de expressão, aprendi que há limites para o que é apropriado para a linguagem e lamento profundamente pela maneira como essas letras podem ser interpretadas", disse o rapper em um comunicado.

"Lamentarei para sempre qualquer sofrimento que tenha causado com estas palavras", acrescentou.

Em um espetáculo, que Psy disse ser de oito anos atrás, o artista protestou contra as mortes de duas adolescentes sul-coreanas atropeladas por um tanque norte-americano no país.

Em outra ocasião, Psy criticou a invasão e ocupação do Iraque, liderada pelos Estados Unidos, das quais forças da Coreia do Sul participaram.

Psy está programado para atuar no evento televisivo anual "Christmas in Washington", ao qual o mandatário dos Estados Unidos e seus familiares estarão presentes, informou a Casa Branca. O canal TNT declarou que Psy irá cantar como previsto.

(Por Eric Kelsey)

Tudo o que sabemos sobre:
MUSICAPSYDESCULPAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.