Cantor condenado por pedofilia é deportado para o Reino Unido

Gary Glitter cumpriu dois anos e nove meses de prisão no Vietnã por abusar de duas menores de idade no país

Efe

19 Agosto 2008 | 02h19

O veterano músico britânico Gary Glitter foi deportado nesta terça-feira, 19, ao Reino Unido após permanecer preso no Vietnã por dois anos e nove meses por abusar sexualmente de duas menores vietnamitas. Glitter, que teve sua pena reduzida em três meses, foi libertado e escoltado por policiais até o aeroporto internacional de Ho Chi Minh, a antiga Saigon, para viajar a Londres, indicou o diretor da prisão de Thu Doc, Tran Huu Tong. O advogado de Glitter, Le Thanh Kinh, disse que seu cliente resistiu em aceitar a ordem de deportação ao Reino Unido, onde deve ser recebido pela polícia. Glitter, de 64 anos, foi detido em novembro de 2005 em Ho Chi Minh quando tentava viajar a Bangcoc, a capital tailandesa. O músico era procurado pela polícia local para prestar depoimento sobre as relações que mantinha com uma vietnamita menor de idade com a qual convivia na cidade de Vung Tau. Cerca de três anos antes de ser detido no Vietnã, Glitter foi expulso do vizinho Camboja, um dos países da Ásia mais visitados por pedófilos.

Mais conteúdo sobre:
Gary Glitter pedofilia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.