Macamba
Macamba

Canções inéditas de Accioly Neto são reunidas em um CD duplo

Álbum será lançado até o fim do ano com participações de Fagner, Zeca Baleiro, Elba Ramalho e outros nomes

Paulo Favero, O Estado de S.Paulo

06 Maio 2018 | 06h00

Compositor de mão cheia, Accioly Neto conseguiu expressar os sentimentos do coração em forma de música como poucos. Mostrou que Saudade da Boa, uma de suas mais famosas canções, é aquela que traz a lembrança de um beijo, de um abraço, de uma noite que fica para sempre na memória. Também se especializou em sucessos com diversos xotes, daqueles para dançar agarradinho.

+++Christina Aguilera anuncia primeiro álbum em seis anos e lança nova música

Além das letras que tocam a alma, ele conseguiu unir melodias agradáveis, daquelas que grudam na cabeça e você fica por aí cantarolando sem perceber. Espumas ao Vento, eternizada na voz de Fagner, talvez seja o melhor exemplo do trabalho desse artista, que morreu em 2000 e receberá uma homenagem em forma de CD duplo.

+++'O rock não é mais a música da juventude', diz Leoni

“Eu e minha mãe sempre mantivemos a obra dele ativa. Temos contato com os artistas, pois ela também é produtora cultural. Então meu pai continuou sendo gravado, fez parte de trilha sonora de filmes e foi gravado por artistas nacionais. Mas a gente queria fazer algo que fosse uma homenagem”, contou ao Estado Talitha Accioly, filha do compositor.

No início do ano passado, em um show no Teatro de Santa Isabel, no Recife, a fagulha foi novamente acesa. O projeto do CD já existia, mas a família ainda buscava formas de viabilizar a empreitada. Até que ele foi aceito e aprovado pelo Funcultura, de Pernambuco. No final do ano passado veio o sinal verde para o novo disco.

“Já temos os nomes dos artistas, serão 30. Estávamos prevendo 20 músicas, mas não conseguimos nos ater a esse número, até porque é uma obra muito vasta, incluindo coisas inéditas e mais antigas. A gente resolveu juntar o maior grupo de pessoas que têm reconhecimento nacional e conhecem a obra dele, como de pessoas que estão começando a ter um nome e que fazem uma música totalmente diferente”, disse Talitha.

Grandes parceiros de Accioly Neto estarão presentes no álbum, como Fagner, Maciel Melo, Petrúcio Amorim e Santanna o Cantador. Outros nomes conhecidos da música brasileira são Chico César, Zeca Baleiro, Elba Ramalho, Zélia Duncan, Mariana Aydar e Lucy Alves. E a homenagem trará alguns jovens artistas pernambucanos, como Almério, Flaira Ferro e Ylana Queiroga.

O músico e compositor André Macambira será o diretor musical do projeto enquanto Talitha está cuidando da produção e coordenação executiva. Sua mãe, Tereza Accioly, é a consultora enquanto os principais arranjadores são Juliano Holanda, Renato Bandeira, Júlio Cesar Mendes e Yuri Queiroga. “Teremos algumas músicas inéditas, muita música conhecida, inclusive com artistas inusitados para aquela música. O CD terá gravações desconhecidas e tem coisa do primeiro LP que ele lançou, de 1981, que o público em geral não conhece. Vamos começar a gravar em breve e sairá pelo Incentivo Cultural do Funcultura”, explicou.

O talento das composições de Accioly Neto foi reconhecido por dezenas de grupos e cantores. Fagner gravou Espumas ao Vento, que também fez parte da trilha sonora do filme Lisbela e o Prisioneiro. Também cantou Lembrança de um Beijo e muitas outras. Quem também escolheu uma composição do pernambucano de Goiana foi o grupo de forró Falamansa, que gravou Minha Gata em seu disco de maior sucesso.

Jessé, outro que se rendeu às letras românticas de Accioly Neto, ganhou fama ao cantar Paraíso das Hienas. E Flávio José, em sua interpretação de A Natureza das Coisas, também cantou os versos do compositor, que tinha a capacidade de usar uma linguagem bastante popular com palavras mais “clássicas”.

“Em 29 de outubro vai fazer 18 anos que meu pai faleceu. Uma característica dele foi estar antenado com o mundo, bem informado. E o amor não tem época. A música pode ser de 1978, mas até hoje se mantém atual na temática. É inevitável que as canções dele se mantenham”, afirmou Talitha, que corre para tirar esse material do forno. “Eu tenho um prazo para entregar o projeto pronto do CD e prestar contas até o final do ano. Estamos tentando manter esse cronograma. Gostaria de fazer um lançamento com um show em janeiro.”

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.