Canções de protesto ganham novo fôlego

As canções de protesto não morreram como fim da cobertura da guerra do Iraque. Um grupo batizado dePeace Not War quer manter o espírito vivo com o lançamento deuma série de CDs e uma rádio online, contando com a colaboraçãode nomes como Massive Attack, Public Enemy, Ms. Dynamite, AsianDub Foundation e muitos outros. O projeto começou tímido, com umcasal de músicos independentes na Austrália, mas já recebeucolaboração de mais de 300 bandas, entre famosos edesconhecidos.O primeiro grande lançamento do projeto é um CD duplo que jáestava sendo vendido informalmente em eventos especiais, maschega ao mercado, oficialmente, no dia 2 de junho (adistribuição está acontecendo inicialmente nos Estados Unidos,na Inglaterra e na Austrália). A boa notícia é que a compilaçãonão traz nenhuma das sofríveis composições recentes, como WeWant Peace, de Lenny Kravitz, ou In a World Gone Mad, dosBeastie Boys.Os dois CDs têm faixas não-inéditas de várias épocas, o que deveservir para apresentar a novas gerações músicas "clássicas"como Hymn of the Big Wheel, colaboração do Massive Attackcom Neneh Cherry incluída no primeiro disco do grupo de Bristol,Blue Lines, de 1991. Também estão na compilação Watch OverThem, uma gravação a capela de Ms. Dynamite (que haviaaparecido no disco de estréia da inglesa, A Little Deeper,do ano passado); Self Evident, um poema falado de AniDiFranco, tirado do álbum ao vivo So Much Shouting, So MuchLaughter; e Son of Bush, faixa-protesto do Public Enemyque havia sido gravada para o disco Revolverlution.Os organizadores, conhecidos como Kelly e Mudge, dizem terrecebido tantas contribuições que já é possível pensar em umasérie de lançamentos, separada em gêneros musicais. Odiferencial é que eles pretendem lançar trabalhos de músicosdesconhecidos. "As colaborações mais interessantes foram feitasem estúdios caseiros", dizem eles no web site oficial doprojeto. As faixas estão postadas na página, que fica noendereço www.peace-not-war.org.A venda dos CDs deve servir para financiar grupos pacifistaslocais. Em uma iniciativa marcada pela filosofia do"faça-você-mesmo", os discos podem ser adquiridos por US$ 5 evendidos por ativistas em passeatas e outros eventos por US$ 15,com o lucro sendo utilizado para pagar os custos de passeatas afavor da paz. Quem quiser apoiar determinados grupos, pode doaruma caixa de CDs e "triplicar o investimento na causa".

Agencia Estado,

29 de maio de 2003 | 16h05

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.