Camerata Fukuda toca repertório brasileiro

Desde a fundação, em 1989, a Camerata Fukuda tem em Celso Antunes o seu regente titular. Todos os anos, ele vem de Colônia, onde mora há 15 anos, e passa dois meses em São Paulo, trabalhando com essa orquestra jovem, formada pelos alunos da violinista Elisa Fukuda. Desta vez, Celso Antunes está na cidade para o lançamento de CD do selo Paulus, gravado em agosto de 2000, em que a Camerata "faz pela primeira vez um repertório exclusivamente brasileiro"."O disco se propõe a mostrar a música brasileira sob vários prismas", diz ele. "O nacionalista, com Guerra Peixe, Camargo Guarnieri, Santoro e Mignone; o das composições europeizadas, com obras de Nepomuceno e Amaral Vieira; e o que poderíamos chamar de solução ´antropofágica´, com a suíte de Edino Krieger, que tenta a fusão entre o nacionalista e o cosmopolita."Duas das peças do disco, as de Mignone e Cláudio Santoro, serão tocadas no concerto de lançamento do CD, no Teatro São Pedro. Além disso, Celso Antunes regerá a Serenata de Dvorák - "uma prova de fogo para qualquer orquestra de cordas" - e as Illuminations de Britten, sobre poemas de Rimbaud, que terá Martha Herr como solista. "Foi a peça que apresentamos no Festival de Campos do Jordão, com ótima acolhida do público."Leia maisCamerata Fukuda. Hoje, às 20h30. Grátis. Teatro São Pedro. Rua Barra Funda, 171, tel. 3667-0499.

Agencia Estado,

14 de agosto de 2001 | 11h17

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.