Caldeirão das Artes recebe Guga Stroeter

Há mais de dez anos, o músico e compositor Guga Stroeter propõe a aproximação da música latina com a brasileira. No seu novo CD, Salsa Samba Groove (Trama) ele sintetiza parte desse objetivo. O meio escolhido para relacionar as sonoridades é a "exuberância musical" de uma big band, no caso a Orquestra HB, criada por ele. Amanhã, às 19 horas, Guga e a HB big band apresentam-se no projeto Caldeirão das Artes na Universidade Feao (Av. das Flores, 711, Osasco) e contam com a participação de Walter Franco.Ainda não é show oficial de lançamento, mas a essência (acústica) da instrumentação de Salsa Samba Groove poderá ser conferida. É a primeira vez, segundo Stroeter, que ele tem uma big band completa. O grupo é constantemente reformulado e teve, até mesmo, o nome alterado; o anterior era Heartbreakers.Stroeter conta que juntou essa turma por sugestão dos músicos de sopro que trabalham com ele. "Os instrumentistas são fantásticos e têm mesmo de ser, pois um conjunto com tanta gente ensaia pouco; o ensaio tem de ter rendimento máximo."O interesse pela música latina veio por meio do jazz - ele foi considerado por Wynton Marsalis, de quem é amigo há uns sete anos, o melhor jazzista brasileiro. "Eu gosto de música de boa estrutura e a latina possui, assim como a brasileira e o jazz americano."Como instrumentista popular, Guga abriu caminhos para a música latina, que passa por um momento de valorização mundial. No Brasil, ela já teve períodos em que foi vista com preconceito sendo considerada brega, até porque pouca coisa era acessível. "Não acho que fui um inovador nessa questão, sempre fiz o que quis, apenas isso", diz. Guga considera a aproximação de culturas ainda tímida. "Por passarmos por um momento muito forte da música latina no mundo, ela começa a ter uma sombra aqui. E não é por uma objeção do público brasileiro, mas uma rejeição natural porque temos música também de fôlego, muito boa."Salsa Samba Grove é um disco de liga orgânica e conceitual. Além disso, há muito o que explorar nesse novo disco que tem bossa, samba rock, acid jazz, salsa e samba, ritmos executados pela big band e que ganharam, em algumas faixas, o groove do co-produtor Kassin (o outro foi Arto Lindsay) e um remix do DJ Xerxes. O CD tem ainda outras participações especiais: o rap Camorra, Simoninha e Alice Ruiz.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.