Cai pela metade o download de música nos EUA

A ofensiva da indústria fonográfica contra a troca livre de música pela internet começa a dar os primeiros resultados. Uma pesquisa feita nos Estados Unidos entre 18 de novembro e 14 de dezembro mostrou que caiu pela metade o número de americanos que baixa arquivos musicais pela rede de computadores. De todos os entrevistados, apenas 14% admitiram baixar músicas. Em maio do ano passado, este percentual era de 29%.A pesquisa não faz distinção entre a troca livre de músicas em sites como o Kazaa, contra os quais a indústria do disco apontou as armas no ano passado, e os serviços de venda online de músicas, como o iTunes. Entretanto, os pesquisadores atribuem a queda no uso da internet para obter músicas à campanha da Recording Industry Association of America (RIAA). Desde setembro do ano passado, a RIAA adotou a estratégia de processar individualmente os internautas que baixavam músicas pela internet sem pagar. Foram abertos cerca de 400 processos e a maioria terminou em acordos que previam o pagamento de valores entre US$ 2.500 e US$ 7.500. Mas a RIAA chegou a mencionar possíveis indenizações de US$ 150 mil. Apesar do resultado positivo em sua agressiva política contra a música pela internet, o executivo chefe da RIAA, Mitch Bainwol, disse que os processos contra indivíduos vão continuar. "Não vamos cantar vitória. O que sabemos é isto: os processos tiveram um profundo impacto na consciência e menos pessoas estão baixando (música ilegalmente)", disse ele.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.