Cai o número de usuários da troca de música online

Depois de endurecer como nunca em suas ações contra a troca de músicas pela internet, a indústria fonográfica colhe seus primeiros frutos. Dois serviços de troca de arquivos musicais ? o Morpheus e o Kazaa ? anunciaram que o número de seus usuários caiu 15% na semana entre 6 e 12 de julho. Esta semana foi a primeira depois da promessa da Recording Industry Association of America (RIAA), que representa as gravadoras, de que processaria os usuários destes serviços individualmente. Os 15% a menos de usuários significam, no caso do Kazaa, um milhão de pessoas que deixaram de usar o serviço, de acordo com uma empresa medidora de acessos na internet. A decisão da RIAA por ameaçar o internauta foi tomada após a associação perder na Justiça em processos contra os serviços de troca de música, como o Morpheus e o Grokster. Tendo vencido em outro caso, a RIAA obrigou a gigante das telecomunicações Verizon a divulgar a identidade de pessoas que trocam música em larga escala pela rede, o que abriu caminho para as ameaças individuais. A promessa da associação é de que moverá ações no valor de US$ 150 mil contra usuários a partir de agosto. Em junho, o presidente da RIAA, Cary Sherman, disse que quem não quisesse ser processado deveria desinstalar de seu computador o programa de troca de músicas ou bloquear seu disco rígido. A opção da indústria do disco foi criticada. Fred von Lohmann, advogado da Electronic Frontier Foundation, disse que as gravadoras declararam guerra ao consumidor. "Será que alguém ainda acredita que mais processos serão a resposta?", perguntou ele.As informações são do site da BBC. Para ler o noticiário da BBC, que é parceira do estadao.com.br, clique aqui.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.