Caetano Veloso faz show no Parque do Ibirapuera

Tendo como convidados especiais o rapper MV Bill e a cantora Mart´nália (filha do cantor e compositor Martinho da Vila), Caetano Veloso canta de graça neste sabadão no Parque do Ibirapuera, em São Paulo, às 16 horas. O show é um conjunto de celebrações: dos 60 anos de Caetano, completados este mês; dos 10 anos do projeto Pão Music, que realiza os shows ao ar livre no parque; e da volta dos Novos Baianos, a trupe de Caetano, Gil, Bethânia e Gal, que culminará com um show conjunto em dezembro.O show deste sábado será repetido no domingo, 25, às 19 horas, na Praia de Copacabana, também de graça. Da última vez que Caetano se apresentou no projeto Pão Music, nas comemorações dos 500 Anos de Brasil, cerca de 120 mil pessoas estiveram na Praça da Paz, em espetáculo que durou cerca de 2 horas e meia, com três bis. A organização acha que vai se repetir o público.Com os convidados, Caetano pretende cantar duas músicas com cada um. Com MV Bill, vai cantar Haiti (dele e de Gilberto Gil) e Só Deus Pode me Julgar (de MV Bill). Com Mart´nália, ele canta Pé do Meu Samba (Caetano).MV Bill é um dos mais carismáticos rappers da atualidade tendo feito um disco de estréia muito elogiado, Traficando Informação. Menos monolítico do que seus colegas de gênero, ele gosta e defende a fusão com outros tipos de música, como o samba-rock, o samba-enredo, o forró. O músico já defendeu samba-enredo de seu pai na quadra de samba do Grêmio Recreativo Bloco Carnavalesco Coroado do Jacarepaguá.Já Mart´nália é mais uma cantora que sobe apadrinhada por Caetano, produtor da sua estréia. Ela começou na carreira como vocalista de apoio do pai, Martinho da Vila. Seu disco de estréia é produzido por Celso Fonseca e tem um bom time de músicos, do próprio Fonseca a João Barreto (teclado), Artur Maia (baixo) e Ramiro Mussoto (percussão).Caetano chega de triunfal turnê pela Europa, que começou em Lisboa e passou por 18 cidades do continente, de Viena a Bruxelas, de Paris a Cagliari, de Palermo a Granada. Além do repertório do disco mais recente, Noites do Norte, ele incrementou algumas brincadeiras com a platéia. Uma delas é cantar Tapinha, o funk do verão passado (Dói, um tapinha não dói, tapinha....), sua provocação de plantão para o bom gosto dominante.Caetano está em plena atividade. No domingo, no Rio, o cantor faz uma homenagem ao percussionista Paulo Negueba, do grupo O Rappa, que foi baleado na cidade durante uma blitz policial. Na segunda-feira, lança Eu não Peço Desculpa, seu álbum com Jorge Mautner, uma das grandes influências que teve nos anos 60.

Agencia Estado,

23 de agosto de 2002 | 14h04

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.