Caetano, na famosa esquina de "Sampa"

Uma rápida rajada de vento, o ministro Gilberto Gil e grossos pingos de chuva deram as caras na festa exatamente no momento em que Caetano Veloso chegava ao microfone, às 23h06, na esquina mais famosa de São Paulo. Todo de branco, empunhando o violão, cumprimentou o público com um tímido ?Boa noite e feliz ano-novo?. Abriu o show com ?Força Estranha?, composição sua que fez grande sucesso com Roberto Carlos.Em seguida, cantou ?Saudosa Maloca?, de Adoniran Barbosa, e ?Ronda?, de Paulo Vanzolini, que o inspirou a compor ?Sampa?, a canção que cita a esquina das Avenidas Ipiranga e São João. O público vibrou com ?Um Índio?, acompanhando o refrão. ?Que beleza, que alegria, que emoção profunda estar aqui cantando na terra de Rita Lee?, disse Caetano, que emendou com ?Agora Só Falta Você?, de sua parceira de Tropicalismo. ?Posso dizer a vocês, com toda simplicidade: esta terra me deu tudo!? Enquanto apresentava o primeiro convidado, Jair Rodrigues, a produção começou a distribuir capas de chuva para os convidados vip e o público reclamava do baixo volume do som. Caetano se dispersou um pouco até compreender o que a platéia dizia, ao que retrucou: ?Acho que no Brasil as pessoas são acostumadas ao som muito alto.? Ao que parece, o pedido do público foi atendido.O dueto com Jair Rodrigues foi uma calorosa homenagem a Elis Regina com o pot-pourri que a cantora fazia com Jair no programa ?O Fino da Bossa?.Bem mais cool entrou o segundo convidado, JoséMiguel Wisnik, em ritmo de bossa nova, igualmente bem recebido pelo público, que não perdeu o ânimo nem com a chuva insistente.Caetano iria abrir o show com ?Aquarela?, de Toquinho, mas não teve tempo de acertar a harmonia. Entre as mais de 20 canções do roteiro, estavam previstos os sucessos ?Sozinho? e ?Você Não Me Ensinou a Te Esquecer?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.