Caetano considera show um pouco triste

O show Noites do Norte quase foi batizado de Caminhos Cruzados, em homenagem à canção de Tom Jobim e Newton Mendonça, e que é apresentada de forma simples, com acompanhamento de guitarra. Talvez, também, porque o título da música jobiniana sugira os imbricamentos de estilos, ideologias, raças que tanto instigam Caetano Veloso. No espetáculo que qualifica como "quase austero e um pouco triste" ("Mas a austeridade não é necessariamente triste embora tenda à tristeza, na medida em que nega a exuberância") Caetano procurou gestos mais leves, menos formais - "menos solenes" - do que aqueles do espetáculo anterior, Livro, que tinha coreografia de movimentos contidos - ou, pelo menos, muito estudados. Dizendo-se "mais internacional do que nunca", o compositor vai, em agosto, à Espanha: participa cantando do novo filme de Pedro Almodóvar. No mês seguinte, recebe o Prêmio Michelangelo Antonioni, concedido a artistas de destaque internacional, por indicação do próprio Antonioni (a festa, realizada em Úmbria, comemora o aniversário do cineasta). E, um mês depois, apresenta-se num festival organizado pela coreógrafa Pina Bausch. Mas esse seu internacionalismo não tem nada a ver com globalização. Ele está reverenciando (e sendo reverenciado por) artistas de sua admiração e obras muito pessoais. Antonioni é uma paixão do tempo de adolescência. Tornar-se amigo dele foi um imenso orgulho. Mas se Antonioni estivesse filmando hoje, é pouco provável que Caetano lhe conhecesse a obra como conhece. Porque as salas de exibição de filmes estão ocupadas pela "bobajada" dos filmes americanos.Menciona-se Pearl Harbour, que estreou em 400 salas, no Brasil. "Pois é, a estréia de um filme nesse número de casas é um ataque tão grave quanto o ataque japonês a Pearl Harbour, na guerra", compara, com um toque de humor amargo. "Só que nós não temos as armas que os americanos tinham para contra-atacar" diz. E isso é o que se chama globalização? "A palavra é americanização. Usam globalização para enganar os bobos." Acompanhando as discussões sobre a sucessão presidencial não sabe ainda em quem votaria. Não considera o quadro de pré-candidatos ruim. "O Ciro Gomes, o Lula, são pessoas direitas." E em quem não votaria? "No Itamar Franco. A não ser que as circunstâncias piorem tanto que Itamar seja a única opção", admite. Gosta de Ciro, especialmente pela parceria intelectual com Mangabeira Unger. Ciro, por sinal, teria seu voto nas últimas eleições presidenciais. Mas Caetano estava viajando e não votou.Caetano Veloso. Amanhã, às 21h30; sexta e sábado, às 22 horas; e domingo, às 20 horas. De R$ 65,00 a R$ 120,00. Dia 5/7 não haverá espetáculo. Directv Music Hall. Avenida dos Jamaris, 213, em São Paulo, tel. (11) 5643-2500. Até 8/7. Patrocínio: Volkswagen.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.