Buddy Guy desce ao público, e beija fã

Com casa cheia, o guitarrista Buddy Guy promoveu uma alegre e rara celebração musical no Via Funchal em seu show, ontem à noite. Na metade do espetáculo, o guitarrista (que influenciou roqueiros como Eric Clapton e Stevie Ray Vaughan) desceu do palco e tocou sua guitarra no meio do público. Em determinado momento, deteve-se na frente de uma fã com deficiência visual, Lara de Campos, e ofereceu-lhe as cordas da guitarra para dedilhar. "Obrigada, mas eu toco bateria", disse Lara, antes de tascar um beijo no bluesman de 64 anos.Vestindo um macacão jeans e em plena forma, o guitarrista - que formou uma sólida parceria nos anos 70 e 80 com o gaitista Junior Wells - tocou um pot pourri de composições que mais parecia uma master class de guitarra. Perfilou canções de Muddy Waters, Eric Clapton, Stevie Ray Vaughan e nos clássicos, como I´ve Got the Blues e I Can´t Quit the Blues.Guy mostrou que é hoje o mais completo dos músicos do blues, embora não tenha o talento de bandleader de B.B.King. Sua banda tem talentos excepcionais, como o baterista Jerry Porter o o jovem guitarrista Francis Blinkal, mas o tecladista Tony Z é uma figura perfeitamente dispensável no set. Ele dá um tom um tanto artificial tocando sintetizador e está mais para o rock do que para o blues. Há ainda um saxofone solitário, Jason Moynihan, que não chega a empolgar em nenhum momento.Buddy Guy também é um showman excepcional, que quase causa uma batalha campal no Via Funchal. Parte do público, instigado pelo guitarrista, deixou as mesas e aglomerou-se na frente do palco. A outra metade, que esperava ficar sentada vendo o show com um copo de uísque à frente, protestou. E houve algum empurra-empurra.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.