Divulgação
Divulgação

Bublé e Daft Punk saem na frente no Grammy

A pré-festa é apresentada pela cantora Cyndi Lauper

Jotabê Medeiros, O Estado de S. Paulo

26 de janeiro de 2014 | 20h40

As primeiras surpresas da premiação do Grammy: dois artistas canadenses saíram na frente nos prêmios da pré-cerimônia: a cantora Jennifer Gasoi, de Vancouver, levou o prêmio pelo Melhor Disco para Crianças por Throw a Penny In The Wishing Well; e o cantor Michael Bublé levou para casa seu quarto prêmio na categoria Melhor Vocal Pop Tradicional.

A pré-festa está sendo apresentada pela cantora Cyndi Lauper, grande rival de Madonna nos anos 1980. Como são 82 prêmios, será uma longa noite dividida em duas etapas, e uma delas já corre a pleno vapor. O Daft Punk ganhou a sua primeira estatueta da jornada na categoria Melhor Engenharia de Álbum Não Clássico. O Grammy de Melhor Gravação Remixada Não Clássica foi para Cedric Gervais e sua versão de Summertime Sadness, de Lana del Rey.

Steppin’ Out, disco de Herb Alpert, foi agraciado com o Melhor Álbum de Pop Instrumental. O filho de Bob, Ziggy Marley, ganhou como melhor álbum de reggae, e o comentarista político de TV Steven Colbert ganhou na categoria Best Spoken Word (Canto Falado).

A banda de imigrantes hispânicos radicada nos Estados Unidos La Santa Cecilia ganhou o prêmio de Melhor Álbum Latino de Rock, Urbana ou Alternativa por Treinta Días. O porto-riquenho Draco Rosa levou pelo álbum Vida Melhor Pop Latino.

Houve também apresentações musicais. Gerald Albright, Dave Koz, Verdine White, Mindi Abair e Richard Elliot tocaram com a Larry Batiste Orchestra na pré-transmissão.

Clare Fischer ganhou o troféu de Melhor Composição Instrumental pela obra Pensamientos for Solo Alto Saxophone and Chamber Orchestra, mas quem foi receber em seu nome foi o compositor Brent Fischer.

Tudo o que sabemos sobre:
Grammy

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.