Francois Lenoir/Reuters
Francois Lenoir/Reuters

Bruxelas se nega a vestir famosa estátua local como Michael Jackson

A estátua de bronze Manneken-Pis seria vestida como Michael Jackson no dia 25 de junho, nos 10 anos da morte do astro do pop, mas homenagem foi cancelada depois da repercussão de Leaving Neverland

Redação, AFP

21 de junho de 2019 | 19h13

Bruxelas desistiu de fantasiar sua famosa estátua de Manneken-Pis como Michael Jackson por ocasião dos 10 anos da morte do artista, em função de um recente documentário, que relançou acusações de pedofilia contra o cantor.

"A prefeitura de Bruxelas não ficou insensível ao documentário e decidiu adotar uma posição prudente", explicou um dos seus porta-vozes à AFP.

Estava previsto que o Manneken-Pis, que usa vários trajes todos os anos, geralmente por 24 horas, estaria vestido como Michael Jackson em 25 de junho, uma iniciativa de um fã-clube belga, validado, segundo a porta-voz, pelo ex-executivo municipal.

O documentário da rede americana HBO Leaving Neverland, que relançou as acusações de pedofilia contra o cantor falecido em 2009, provocou inúmeras reações em todo o mundo desde sua estreia no Festival Sundance, em janeiro. O filme foi transmitido no final de março na Bélgica.

A estátua de bronze do Manneken-Pis é de 1619, embora os registros históricos provem a existência de uma fonte com o menino urinando desde o século XIV. No entanto, o trabalho atual, localizado na esquina entre duas ruas no centro histórico de Bruxelas, é uma cópia. A estátua original é preservada no museu da cidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.