Reuters
Reuters

Bruce Springsteen diz ter se unido à resistência contra Trump

O astro chamou o presidente de demagogo no início de sua turnê na Austrália

Tom Westbrook, Reuters

23 Janeiro 2017 | 11h29

O astro de rock norte-americano Bruce Springsteen, que apoiou Hillary Clinton durante a campanha presidencial do ano passado nos Estados Unidos, disse no domingo, 22, que sua banda está se unindo a uma "nova resistência" global contra o presidente dos EUA, Donald Trump.

"Parece algo muito distante, mas nossos corações e nossos espíritos estão com todas as milhões de pessoas que marcharam no sábado, 21, e a E Street Band faz parte da nova resistência", disse Springsteen a repórteres em Perth, no início de sua turnê na Austrália.

A posse de Trump na sexta-feira, 20, e sua promessa desafiadora de acabar com a "carnificina americana" foi seguida por um final de semana de protestos em massa nos EUA e em outras partes do mundo.

Centenas de milhares de pessoas encheram as ruas de Washington e de outras capitais mundiais no sábado para a realização de "marchas irmãs", criticando o novo líder norte-americano um dia depois de ele assumir o cargo.

Falando antes de uma apresentação de três horas e meia na Perth Arena, Springsteen descreveu Trump como um "demagogo", mas acrescentou esperar que seu programa de infraestrutura dê certo para criar empregos em locais atingidos duramente por demissões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.