ANDER GILLENEA|AFP
ANDER GILLENEA|AFP

Bruce Springsteen abre o Rock in Rio Lisboa

Com 5 dias de duração, festival chega à 7ª edição na capital portuguesa, uma a mais do que no Rio de Janeiro

Pedro Antunes / LISBOA, O Estado de S.Paulo

19 de maio de 2016 | 05h00

O Rio pode estar no nome do festival, mas o Rock in Rio é, mesmo, de Lisboa. Começa nesta quinta, 19, mais uma edição do festival, que, com o passar dos anos, ganhou sotaque português. Trata-se da sétima edição realizada no país, enquanto a cidade que batiza o empreendimento de Roberto Medina, iniciado há 31 anos, recebeu a festa em seis ocasiões.

O Rock in Rio Lisboa já é tão tradicional quanto a versão carioca. A primeira edição em território lisboeta ocorreu em 2004 e foi também incursão internacional do RiR. Depois, vieram Madri e Las Vegas.

Na chegada à capital portuguesa, o festival é o assunto mais comentado e o nome mais citado é o de Bruce Springsteen, músico norte-americano que volta ao evento depois de uma performance arrebatadora em 2012. O retorno dele, atração desta quinta, 19, do Palco Mundo, às 23h45, novamente com a eficiente E Street Band, comemora os 35 anos do lançamento do disco The River.

LEIA MAIS: Legado do Rock In Rio vira espetáculo de abertura em Lisboa

Como o próprio Springsteen mostrou no RiR carioca, em 2014, sua performance é imprevisível. No Parque dos Atletas, que recebe o nome de Cidade do Rock durante o festival, o músico executou o álbum Born In U.S.A., de 1985, na íntegra.

Assim como no Rio, o RiR Lisboa também tem dois palcos principais, Mundo e Vodafone, que substitui o Sunset. No primeiro dia, nesta quinta-feira, Springsteen divide o Palco Mundo com a banda portuguesa Xutos & Pontapés, Stereophonics e Rock in Rio – O Musical. O Vodafone, dedicado à cena independente, tem a ótima Black Lips como atração principal. Há ainda mais três palcos, entre eles, Rock Street brasileira, com Mart’nália e Serjão Loroza.

O RiR Lisboa, que ocorre em 19, 20, 27, 28 e 29 de maio, traz, entre as atrações principais: Queen + Adam Lambert, Mika e Fergie no dia 20; Hollywood Vampires, Korn e Rival Sons no dia 27; Maroon 5, Ivete Sangalo e D.A.M.A com Gabriel Pensador no dia 28; Avicii, Ariana Grande e Charlie Puth no dia 29.

Brasileiros. A Rock Street é dedicada a artistas brasileiros, mas nenhuma das atrações por ali mostrará canções próprias. Serão performances que celebrarão a música tupiniquim. Serjão Loroza, por exemplo, fará uma homenagem à “malandragem carioca” e Mart’nália executará faixas eternizadas pelo pai, Martinho da Vila.

Entre os brasileiros, Ivete Sangalo e a novíssima Boogarins são os destaques pela força própria. Ela, já bastante conhecida em Portugal, tem espaço privilegiado no Palco Mundo, enquanto o Boogarins, banda de Goiânia que segue em turnê internacional, dará mais um enorme passo na carreira ao encabeçar a lista de atrações do Palco Vodafone, na sexta-feira, dia 20.

The Boss. Bruce Springsteen divide o Palco Mundo com a banda portuguesa Xutos & Pontapés

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.