Fábio Motta/ AE
Fábio Motta/ AE

Britney empolga fãs em show no Rio após dez anos de ausência

Com superprodução que marca sua turnê, cantora não incomodou com o uso de playbacks

Alessandra Saraiva - Agência Estado,

16 de novembro de 2011 | 10h32

Após dez anos, os fãs brasileiros de Britney Spears puderam apreciar na noite desta terça-feira, 15, o retorno da princesinha do Pop aos palcos do País. O show da turnê mundial Femme Fatale, sexta da carreira de Britney e homônimo ao mais recente álbum da cantora, começou pontualmente às 21h desta terça-feira na Praça da Apoteose, centro do Rio, e trouxe uma boa amostra do pop de Britney desde sua última apresentação no País, no Rock In Rio em 2001.

 

O show não fugiu do formato já apresentado em outras passagens da turnê pelo mundo. Após contagem regressiva de 30 minutos  no telão, o espetáculo começa dividido em cinco segmentos.  O primeiro conta com a ajuda de quatro telões no palco para contar a história da primeira parte do show, onde Spears é uma agente secreta com um perseguidor misterioso. Um close-up  de uma imagem da cantora avisa ao público, já elétrico com o show de abertura de pouco mais de uma hora do DJ set do Copacabana Club: "I'm not that innocent". E a plateia vem abaixo.

 

Britney surge no palco logo depois, com um maiô branco e prateado, a primeira das cinco roupas que vestiria na noite, e começa com Hold It Against Me, single do álbum Femme Fatale. Após a segunda música, Up & Down, arrisca falar com a platéia.What'ts up Rio? pergunta, sendo ovacionada em seguida pelos fãs. Ela agradece, sorridente e ataca com outro hit, 3, seguida por Piece of Me.

 

A cantora interpretou 19 canções, e mesclou músicas do álbum novo com outras mais conhecidas do público brasileiro, como Womanizer, Toxic e I'm a Slave 4 You em quase uma hora e meia de duração. Assim como em outros shows da turnê,  em Lace &Leather, do álbum Circus de 2008, Britney chamou um voluntário da plateia para ser algemado em uma cadeira enquanto ela e seus dançarinos executavam uma dança sensual. O sortudo da noite foi Getúlio Cavalcanti, estudante de 20 anos.

 

Mas é preciso dizer que o uso do playback era visível em algumas músicas que exigiam passos mais difíceis de dança da cantora, como em How I Roll. E embora o seu vigor no palco continue único, suas habilidades de dançarina nem de longe lembram aquela Britney que deixou embasbacada a platéia do MTV Music Awards de 2000, quando fez um mash up delicioso de I Can´t Get No Satisfaction dos Rollings Stones,com sua canção Oops!...I did It Again.

 

Porém, isso não fez diferença para os fãs que estavam ali para apreciá-la, mesmo com a chuva que ameaçou cair durante o show. "Estou aqui na Apoteose desde sábado" contou a estudante de técnicas em administração, Julia Neves, de 22 anos, que veio de São José dos Campos (SP) para assistir o show na grade, de peruca rosa e óculos escuros. Acompanhada da amiga Camila André, de 21 anos, estudante de Medicina, também paramentada de peruca e óculos, Julia era só elogios à cantora. "Por ela eu agüentei tudo, chuva, show do Belo (que passou pela Apoteose no dia 13 de novembro)... ela merece" finalizou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.