Britney afasta imagem teen para não perder seu trono

Britney Spears está de volta com a missão de provar que não é mais uma garotinha que passa as tardes curtindo a fossa por conta do colega de turma. A cantora, que está completando 20 anos, quer se distanciar da imagem do pop adolescente que perde cada vez mais força no mercado fonográfico para apostar numa imagem e atitude mais madura. E, claro, mais sexy.Britney, seu terceiro álbum, tem produção mais ousada (pelo menos para os padrões ditados pelo ?N Sync e os Backstreet Boys) e ares de declaração de independência. Desde que estourou em todo o mundo com o hit Baby One More Time, Britney virou a virgem preferida dos Estados Unidos e uma máquina capaz de faturar milhões de dólares. Ela conseguiu ser contratada pela Pepsi, conquistar o coração do astro teen mais famoso do mercado, Justin Timberlake, e ainda ganhou a aprovação de Madonna ? para a tristeza de boa parte dos fãs da pop star veterana.O patrimônio de Britney, no entanto, é muito valioso para que ele fosse esfriando com o avanço da idade dos fãs da onda de "bubblegum pop". Assim, era preciso uma transformação. O problema é que ela não é Madonna (a cantora original pode ter se lançado apostando no pop mais comercial da época, mas escrevia as próprias músicas e lançou uma sonoridade e um estilo distintos nos anos 80). Como, então, se reinventar, se não houve nem um período de descanso para os fãs?A solução foi assumir a "maturidade". Até porque está difícil manter a imagem de virgem agora que ela mora com o namorado, em uma recém-comprada casa de US$ 3 milhões em Los Angeles. "Este disco é um reflexo de quem eu sou no momento", disse a cantora há poucos dias. Assim, Britney é recheado de "manifestos", em letras como "preciso cometer erros para aprender quem eu sou/não quero ser tão protegida" ou "não me diga no que acreditar, estou tentando achar a mulher em mim".O lado sexy aparece no primeiro single, I?m a Slave For You (em que revisita o conceito de que "todos acham que eu sou uma garotinha"), e em Boys ("você é um cara sexy, eu sou uma garota legal/vamos fazer desta pista de dança nosso mundo picante"). Há ainda uma composição feita em parceria com Timberlake (What It?s Like to Be Me) e o cover do hit de Joan Jett dos anos 80 I Love Rock and Roll.Para conseguir uma sonoridade também mais madura, a cantora convocou nomes quentes do mercado, como Rodney Jenkins e Neptunes. As bases são mais dançantes e ganham influência de hip hop e dance music. Ela só não teve coragem de usar as faixas produzidas por BT, um DJ de trance music que tinha boa reputação no circuito das raves até gravar o hit Pop, do ?N Sync.O disco chega hoje às lojas de quase todo o mundo, mas a cantora já está na estrada com um show que empresta a megaprodução e algumas idéias da Drowned World Tour, de Madonna. Assim como a "material mom", Britney voa sobre o público e luta contra inimigos durante o show, cantando (dublando?) em meio a dançarinos, elevadores e telas de vídeo suspensas. O álbum também traz uma prévia do primeiro filme de Britney, Crossroads, em que ela faz o papel de? uma adolescente que sonha em ser cantora. Felizmente a produção estréia apenas em fevereiro, quando o público vai ter esquecido do fracasso de Glitter, o filme em que Mariah Carey faz o papel de uma cantora aspirante. O detalhe curioso é que, na história, sua personagem perde a virgindade ? "de uma maneira muito especial". Britney, seus assessores e sua família devem ter achado que era uma boa solução para fazer com que os pais de suas fãs pré-adolescentes aceitem o fato de que ela está morando com o namorado sem ser casada.Mesmo se não conseguir repetir o sucesso de Ooops? I Did It Again, Britney não deve fazer feio nas paradas de sucesso dos Estados Unidos ? até porque o mercado ainda não encontrou uma pop star tão perfeita para o atual momento de correção política e conservadorismo. No dia 18, a cantora faz um especial para o canal por assinatura HBO direto de Las Vegas ? e aparece com roupa de Elvis Presley nos cartazes que anunciam o evento. Será que o destino de Britney é ser tão famosa quanto o rei ou apenas terminar cantando no paraíso dos cassinos?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.