Heather Rousseau/The Roanoke Times via AP
Heather Rousseau/The Roanoke Times via AP

Brian Wilson, ex-Beach Boys, adia turnê por sentir-se 'mentalmente inseguro'

Aos 76 anos, o músico americano lamentou ter cancelado a série de shows pelos EUA, que começaria na sexta, 7; diagnosticado como esquizofrênico, Wilson enfrenta problemas mentais há cinco décadas

Steve Gorman, Reuters

08 de junho de 2019 | 20h38

LOS ANGELES - O cofundador do Beach Boys Brian Wilson adiou indefinidamente sua turnê solo de verão nos Estados Unidos, que começaria na sexta, 7, dizendo que se sentia “mentalmente inseguro” após sua última cirurgia nas costas, mas espera voltar aos palcos ainda este ano. A última vez que trabalhou com sua antiga banda foi em 1996, no disco Stars and Stripes - Volume One. 

Em uma mensagem publicada no Facebook e no seu site oficial, Wilson, de 76 anos, reconheceu que lida com uma doença mental “há muito tempo" e estava “animado para voltar a fazer shows” antes de “começara a se sentir estranho” novamente. 

“Não temos certeza o que está causando isso, mas eu sei que não é bom para mim estar em turnê no momento, então estou voltando para Los Angeles”, escreveu. 

Nascido na Califórnia, Brian Wilson, que completa 77 anos em 20 de junho, foi diagnosticado como esquizofrênico e enfrenta problemas mentais há mais de cinco décadas. 

A turnê de Wilson, com músicas selecionados do álbum marcante do Beach Boys de 1966, Pet Sounds e outros hits, com o outro cofundador do Beach Boys Al Jardine deveria começar na sexta-feira, 7, no Lynn Auditorium, em Massachusetts, nos arredores de Boston. 

De acordo com o site de Wilson, o show de Massachusetts e outras 11 datas até 23 de junho foram adiados. 

O cantor e compositor, que criou hits como Good Vibrations, Surfin’ U.S.A. e God Only Knows, disse que passou por três cirurgias nas costas no ano passado, que o deixaram “fisicamente mais forte do que esteve em muito tempo”. 

Wilson afirmou que havia retornado ao estúdio gravando e ensaiando com sua banda e estava se sentindo melhor, antes de sofrer uma espécie de recaída mental. 

“Mentalmente inseguro é como eu descreveria”, contou. "Estou lutando com coisas na minha cabeça e dizendo muitas coisas que não quero dizer, não sei por quê." 

“Vou descansar, me recuperar e trabalhar com meus médicos nisso”, escreveu. “Estou ansioso pela minha recuperação e para ver todo mundo ainda este ano. A música e meus fãs me mantêm e sei que isso será algo que eu poderei superar mais uma vez", afirmou e encerrou com Love & Mercy, título da música do seu álbum solo de 1988.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.