Brian Ferry e Roxy Music, o glamour do rock

Príncipe da música de glamour, estilista do palco que usa ternos impecáveis e gosta de gestos ensaiados, como afrouxar de leve o nó da gravata para causar impressão, Bryan Ferry é parte da história gomalinada do rock.É uma história de extremos. Nos anos 70, Bryan Ferry foi o homem de frente de uma das bandas mais elegantes do gênero, o Roxy Music, ao lado de Brian Eno, Andy Mackay, Phil Manzanera e Paul Thompson. Nos anos 80, perpetrou Slave to Love, a música-tema do filme-chave da era yuppie, 9 e 1/2 Semanas de Amor. Nos anos 80, um sujeito poderia perder a namorada se confessasse gostar da carreira-solo de Bryan Ferry, assim como a perderia nos anos 90 se dissesse que gostava de Chris Isaak.Dois discos recém-lançados pela Virgin recuperam essas contradições da vida e obra de Bryan Ferry. Roxy Music - The Early Years e Brian Ferry - The Best of the Ballads.O primeiro abre com uma todo o lado 1 do primeiro disco do grupo de Ferry, Roxy Music (1972, pela Island Records). A banda, além dele, tinha Mackay, Eno, Thompson, Manzanera e Graham Simpson. O repertório dessa fase erma é o seguinte: Re-make/Re-model, Ladytron, If There Is Something (um country breguíssimo), 2 H.B. e Chance Meeting.Vestindo-se como drag queens dos dias atuais, eles mostravam que o glam rock teria fôlego curto, muito mais por estarem um pouco fora do seu tempo do que por qualquer outra coisa. Não havia paciência naqueles anos para quem tocasse guitarra (Manzanera) e sax (Mackay) de maneira tão tranqüila. Na era do revival lounge, eles seriam bem-recebidos.E há muito o que dizer do Roxy Music, senão da música, pelo menos das mulheres nas capas dos discos. A do disco de estréia era uma modelo fenomenal chamada Kari Ann, que hoje é casada com o irmão de Mick Jagger, Chris.De For Your Pleasure, disco de 1973, estão incluídas as canções Do the Strand, Beauty Queen, Editions of You, In Every Dream Home a Heartache e Bogus Man. Em canções como Chance Meeting, as idéias em forma de sons sintéticos e cabeçóides de Brian Eno já dão o tom no Roxy Music, mas outras, como Virginia Plain, são boa diversão ainda hoje.Já a coletânea-solo de Bryan Ferry é pura luxúria. Ele cantou como um crooner bem-vestido numa época em que todos queriam ser heróis iconoclastas. Cantou baladas incontestavelmente eficientes, como This Love e Smoke Gets in Your Eyes. E ele dignifica o velho hino culpado de John Lennon, Jealous Guy."O seu amor é forte o bastante?", diz o título de uma das canções que Bryan Ferry canta (da trilha do filme Threesome). Aliado dos enamorados nas horas difíceis, Ferry é o rei das canções de auto-ajuda.Serviço - The Early Years. Roxy Music. The Best of The Ballads. Bryan Ferry. Virgin Records. Preço: R$ 18,00

Agencia Estado,

13 de outubro de 2000 | 18h50

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.