Brasileiro é destaque da Sinfônica da Rádio de Berlim

Após interpretar o Concerto em LáMenor, de Schumann, nas duas apresentações da Sinfônica daRádio de Berlim, o pianista brasileiro José Feghali toca amanhã, na última apresentação do grupo alemão na cidade, oConcerto em Dó Maior n.º 1. Menino prodígio - começou aestudar piano em casa com 3 anos -, ele é um dos maisrequisitados artistas brasileiros no exterior.Na carreira de Feghali, foi tudo muito rápido: com 5anos já estreava ao lado da Orquestra Sinfônica Brasileira. Foipara Londres, para a Academia Real de Música. Em 1985, veio oprimeiro prêmio no Concurso Van Cliburn. Tudo, então, mudou. "Oprêmio abriu muitas portas para a minha carreira e minha vidamudou drasticamente. Depois do prêmio, foram 5 anos de turnêpelo mundo, 70 concertos e recitais por ano."O Van Cliburn é um dos mais importantes concursos parapianistas, projetando muito de seus ganhadores para a famainternacional. Com Feghali não foi muito diferente e, a partirdeste momento, sua carreira foi marcada por concertos e recitaisao lado de grandes orquestras e instrumentistas. "Tenho muitasmemórias gratificantes, musical e pessoalmente. São muitos osdestaques mas, por exemplo, trabalhar com Kurt Masur em Leipzigfoi uma experiência incrível. Eu o ouvi reger no Rio váriasvezes durante minha juventude e foi uma honra tocar com ele econhecê-lo pessoalmente."Não só de orquestras, no entanto, é feita a vida deFeghali, que afirma querer dar maior ênfase ao trabalho commúsica de câmara, o que já fez trabalhando, por exemplo, comJames Galway. "Este foi sempre um dos meus idiomas musicaisfavoritos. Galway é indiscutivelmente um dos maiores flautistasda história." Segundo ele, vêm por aí trabalhos com artistascomo o violinista Olivier Charlier e o pianista André Watts.O Van Cliburn ainda é presença ativa na vida de Feghali. Ele preparou para a Fundação Van Cliburn uma seleção de noveCDs com gravações dos medalhistas das edições do concurso."Foi uma experiência muito importante, descobri muito sobre asnovas tecnologias, diferentes formatos de gravações e,principalmente, como usar o ouvido como produtor emasterizador." O que lhe será útil em seu novo projeto: gravarpeças solo de Schumann, atuando também como produtor principal,engenheiro de som e editor do CD.Orquestra Sinfônica da Rádio de Berlim. Amanhã (25),às 21 horas. De R$ 110, 00 a R$ 230,00. Teatro Cultura Artística- Sala Esther Mesquita. Rua Nestor Pestana, 196, tel. 258-3616.Até quinta. Patrocínio: Bovespa, KPMG, Telefônica, Votorantim.

Agencia Estado,

24 de outubro de 2001 | 16h56

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.