Bowie vive fase de ebulição

O novo disco dividiu a crítica, mas David Bowie, aos 55 anos, vive uma das fases mais quentes dos últimostempos. O camaleão do rock acaba de sair consagrado dofestival Meltdown, do qual foi o curador na Inglaterra, e vaipassar as próximas semanas viajando com Moby pelos EstadosUnidos com a turnê Area: Two. Em Nova York, ele ganha umaretrospectiva de seus melhores momentos na TV, organizada peloMuseum of Television and Radio.Nomes como Bono Vox, Kylie Minogue, Robert Smith e Siouxie Siouxacompanharam, no domingo, o show de Bowie que encerrou ofestival Meltdown, que reuniu músicos e artistas plásticos emduas semanas de eventos. Assim como no show realizado em NovaYork, há poucos dias, ele cantou músicas de seu período alemão,quando gravou o disco experimental Low. O show, dividido emduas partes, conta também com a interpretação de todas as faixasdo disco Heathen, que chegou ao mercado em junho.Bowie tem estado presente na mídia americana principalmente porcausa do Area: Two, em que vai dividir as atenções com oorganizador do evento, Moby, e o rapper Busta Rhymes. O festivalitinerante foi comparado ao Lollapalooza no ano passado e destavez deve passar por 12 cidades.O Museum of Television and Radio começou há poucos dias umaretrospectiva em cinco partes que vai mostrar os principaismomentos da carreira do roqueiro em forma de entrevistas,performances e participações em programas de TV. "Bowieinaugurou uma nova relação entre os fãs de rock e seus ídolos",disse o curador da retrospectiva, Allen Glover, à Planet Pop. Entre os destaques de Bowie: Sound + Vision, está a primeiraaparição do astro na TV, nos anos 60, em que ele "lançou",como estratégia para chamar atenção, a "liga contra adiscriminação dos cabeludos". A programação completa estáno site oficial do museu, no endereçohttp://www.mtr.org.O clima de nostalgia também está sendo celebrado com orelançamento de um dos mais importantes trabalhos de Bowie,The Rise and Fall of Ziggy Stardust and the Spiders of Mars,de 1972. A edição que comemora os 30 anos da obra-prima vaitrazer faixas inéditas que não entraram na versão original, alémde um encarte concebido pelo músico. Em 1998, ele nãoautorizou o uso de faixas do disco no filme Velvet Goldminepara não tirar o impacto da comemoração do aniversário.Curiosamente, ele não teve tanto cuidado quando resolveuregravar a faixa Space Oddity em dueto com o comediante AdamSandler para a trilha sonora do filme Mr. Deeds (refilmagem deO Galante Mr.Deeds, clássico de 1936 estrelado por GaryCooper e dirigido por Frank Capra), que estreou na semanapassada nos Estados Unidos. A fita, estrelada também por WinonaRyder, desbancou Tom Cruise, Steven Spielberg e seu MinorityReport do topo da lista dos filmes de maior bilheteria no fimde semana, com um faturamento de US$ 37,6 milhões de sexta-feiraa domingo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.