Bono deita e rola no palco do U2

Para quem enfrentou horas de fila,desorganização, sol quente e o descaramento dos adeptos da leide Gerson naquela caótica segunda-feira de janeiro atrás de umingresso, está chegando a hora da compensação. O U2 desembarcasábado em São Paulo para tomar o Estádio do Morumbi com obem-sucedido show da turnê Vertigo na segunda (quando a redeGlobo transmite ao vivo) e na terça. Como todos os interessados já sabem, os ingressos estãoesgotados desde o primeiro dia de venda para cada noite. Masvárias empresas, entre elas sites, emissoras de rádio e até umpub irlandês entraram numa espiral de promoções para premiaralguns sortudos com convites para os shows. A Rádio Eldorado FMvai divulgar nesta sexta no programa Trilhas e Tons (às 17horas) o nome do contemplado que poderá ir de helicóptero para oestádio o com o respectivo acompanhante. Cena de cinema, que de certa forma tem relação com oclima de Missão: Impossível (por acaso o baixista Adam Claytone o baterista Larry Mullen Jr. compuseram o tema do filme) quecostuma cercar a vinda da banda. Da primeira vez em que osirlandeses estiveram aqui - com a turnê PopMart em 1998 - tambémhouve muita confusão, desde o congestionamento do trânsito noRio até o prejuízo de um empresário local. Se as situações se repetem, mas o grau de exigência deBono e sua trupe parece maior do que da outra vez, emcompensação, o show é também melhor. É um showzaço, visual emusicalmente. Pelo menos é o que se nota no ótimo DVD da turnê(Vertigo 2005/U2 Live from Chicago), relançado pela Universalesta semana em nova versão, agora com dois discos. As novidadessão um documentário sobre os bastidores do show e tomadasalternativas de alguns números com imagens captadas por câmerade luz infravermelho. Como dizem os envolvidos na produção, o show sofreconstante transformação, mas o núcleo do repertório não mudamuito. Por onde passa, Bono diz ou canta algo relacionado aolugar, a título de homenagem. Sábado passado no México,interpretou o tradicional tema local Cielito Lindo, cafona,por supuesto, que aqui virou clichê de Réveillon com o título deEstá Chegando a Hora. A gente já está acostumado com esse tipode bizarrice (afora as garotas de Ipanima, já deu para sedivertir com Belle & Sebastian em A Minha Menina´, Arcade Fireem Aquarela do Brasil, etc.), mas vamos ver o que nos aguarda. Com ênfase no álbum How to Dismantle an Atomic Bomb(2004), o show equilibra novas e boas canções, como Vertigo,Sometimes You Can?t Make it on Your Own e Yahweh, com hits elados B de seus álbuns clássicos War, The Joshua Tree, Boy Tem também canções de All That You Can?t Leave Behind (2000),o álbum que representou a saudável retomada do rock depois dafrustrada tentativa de enveredar pela eletrônica em Pop. No croqui divulgado pela produção, o cenário que o U2traz para São Paulo é ligeiramente diferente do que aparece noDVD. O detalhe está na passarela circular que fica à frente dopalco e por onde Bono deita e rola, dança, chupa o polegar,discursa e brinca com o público cara a cara. Ah, e é bom lembrarque o show de abertura é do sensacional Franz Ferdinand. Dequarteto em quarteto, fevereiro ferve.

Agencia Estado,

16 de fevereiro de 2006 | 21h41

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.