Bob Geldof volta a alertar para fome na Etiópia

Bob Geldof, que promoveu há 18anos uma série de concertos simultâneos para recolher fundos afim de combater a fome na Etiópia, criticou nesta terça-feira aUnião Européia (UE) por considerar que o bloco não estáimpedindo que se repita a tragédia no empobrecido país do Chifreda África. Em sua primeira visita oficial à Etiópia desde o flagelode 1984, Geldof, um astro da música pop que se tornou emativista social, afirmou que "o horror dos anos 80", durante oqual se estima terem morrido de inanição centenas de milhares depessoas devido à guerra e à seca, poderá repetir-se agora amenos que a UE entre em ação. "A UE tem sido patética e atroz, e eu supus quehavíamos resolvido isto há 20 anos, quando o eleitorado denossos países disse nunca mais", disse o ex-membro do grupoirlandês The Boomtown Rats depois de reunir-se como oprimeiro-ministro etíope, Meles Zenawi, durante uma hora noprimeiro dia de sua visita de cinco dias à Etiópia. Os concertos simultâneos de "Live Aid" em 13 de junhode 1985 no Estádio de Wembley, em Londres, e no Estádio JFK, emFiladélfia, renderam US$ 60 milhões para combater a fome. Um ano antes, Geldof e Midge Ure, vocalista do grupoUltravox, escreveram juntos a letra de "Do They Know It´sChristmas?" ("Eles sabem que é Natal?"), uma canção gravadapor 40 astros da música pop que vendeu mais de 3 milhões dediscos e rendeu US$ 12 milhões para o fundo Band Aid para aEtiópia. Atualmente, mais de 12 milhões de pessoas -aproximadamente a quinta parte dos 65 milhões de etíopes -enfrentam o fantasma da fome devido a uma seca que se arrastapor dois anos. O custo de uma ajuda alimentar de emergência éestimado em US$ 800 milhões. Geldof disse que sua missão, organizada em parte pelaUnicef, tem por finalidade "chamar a atenção" da cúpula deoito potências mundiais que começa no domingo em Evian, naFrança.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.