Black Eyed Peas enfrenta problemas de acústica no RS

Começou por volta das 23 horas, com cerca de meia hora de atraso, o show do Black Eyed Peas no Centro de Eventos Fiergs, em Porto Alegre. Foram conferir a performance do quarteto americano 15 mil pessoas, segundo o Planeta Terra, evento que é responsável, em parceria com a produtora Mondo Entretimento, pela turnê do BEP no País. O grupo de hip-hop formado por Will.i.am, Apl.de.Ap , Taboo e Fergie deu início à apresentação, muito prejudicada pela acústica do local, com Hey Mama. As três primeiras músicas, incluindo a de abertura, Hey Mama, não animaram muito a platéia. Foi com Dont Lie (cujo videoclipe mostra paisagens da capital carioca) que os gaúchos se empolgaram. Fergie fez a alegria de seus admiradores caprichando no rebolado. Em Shut Up, a pop star arrancou suspiros quando rebolou próxima a Will.i.am , o líder e produtor do grupo. O ponto alto do show foi Pump It, faixa-título do álbum que dá nome à turnê, Monkey Business. Pump It, um sample do clássico Misrilou, de Dick Dale, preparou o público para o sucesso mundial Where Is The Love, do álbum Elephunk (2003). Depois de um breve intervalo e Don´t Phunk With My Heart, foi a vez de Mas Que Nada, feita em parceria com o brasileiro Sérgio Mendes. A multidão manteve o pique de Pump Ite mostrou ter a letra de Mas Que Nada na ponta-da-língua, apesar da música estar apenas no CD Timeless, de Mendes (produzido por Will.i.am). Fez sucesso também o penúltimo (e um dos mais esperados) hits, My Humps, cuja letra fala das "formas esculturais" de Fergie. A loira fez jus à canção fazendo uma interpretação pra lá de sensual, e arrasou com o single London Bridge, de seu álbum solo recém-lançado The Dutchness. Uma ´batucada´ abriu o segundo bloco do show, com direito a saxofone e trecho de Chove Chuva, de Jorge Ben Jor. Will.i.am voltou vestindo uma camiseta amarela em homenagem ao País e cantou e tocou, simultaneamente, bateria. "Eu amo o Brasil", confessou ele. Integraram o repertório, entre outros, os hits Hands Up, Disco Club, Dum Diddly, Gone Going (gravada originalmente com Jack Johnson) e Let´s Get Retarted, que fechou a noite. O público não teve direito a bis e o show teve duração de aproximadamente 2 horas. O Black Eyed Peas faz show neste sábado na capital paulista, no Anhembi. A turnê pelo País começou com show em Curitiba, no dia 5. Depois da apresentação em São Paulo, Belo Horizonte e Brasília recebem o grupo, nos dias 12 e 14, respectivamente. Coletiva O Black Eyed Peas vai voltar ao País no ano que vem entre janeiro e fevereiro para realizar shows de uma turnê beneficente, que incluirá países da África, segundo revelou o líder do grupo, Will.i.am, durante coletiva realizada em Porto Alegre nesta quarta-feira. O quarteto revelou ainda que sonha em gravar uma música com o brasileiro Jorge Ben Jor. "Eu gosto muito de Jorge Ben Jor, Antonio Carlos Jobim, Djavan, Gil, D2, Sérgio Mendes", disse o cantor, que fez uma "gracinha" na coletiva e ligou, do celular, para Mendes, atualmente em Sydney. Will.i.am afirmou que Ben Jor foi "uma grande inspiração" e ainda que o hip-hop do grupo é, na verdade, "um jazz hip-hop, um rock hip-hop, uma bossa nova hip-hop". O BEP elogiou as mulheres brasileiras - coisa que enfatizou durante o show em Porto Alegre - "as mais belas do mundo". Falou também da comida do País e de capoeira. "Capoeira é lindo de ver, espero um dia incorporar a dança", confessou Taboo. Fergie foi questionada sobre moda: "Eu uso roupas diferentes umas das outras. Sou um pouco andrógina, um pouco ´escoteira´ e um pouco estilo anos 60". E qual é a mensagem que o grupo quer passar com as músicas? "Liberdade. Não levar as coisas muito a sério. A música faz com que possamos nos divertir, esquecer dos problemas", finalizou Apl.de.Ap. Matéria atualizada às 13h05

Agencia Estado,

09 Novembro 2006 | 02h43

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.