Ilze Filks/ Reuters
Ilze Filks/ Reuters

Björn, do ABBA, se manifesta em apoio a protestos contra o racismo e a brutalidade policial

Músico comparou os protestos Black Lives Matter com o movimento #MeToo contra assédio sexual, dizendo que ambos 'são sobre ver a pessoa ao seu lado como igual'

Colm Fulton, Reuters

08 de junho de 2020 | 11h58

“O mundo está cheio de idiotas”, disse Björn Ulvaeus, do grupo ABBA, ao condenar os críticos do movimento Black Lives Matter e manifestar seu apoio aos protestos mundiais contra o racismo e a brutalidade policial.

“A solidariedade que vemos nas ruas das cidades ao redor do mundo agora deve nos dar esperança”, declarou o músico em um vídeo gravado por telefone entregue à Reuters.

A morte em 25 de maio nos EUA de George Floyd, um afro-americano, provocou manifestações em todo o mundo sobre o tratamento policial a minorias étnicas. Um policial branco que o deteve ajoelhou-se em seu pescoço por quase nove minutos.

O músico, que recentemente passou algum tempo em auto isolamento em sua terra natal, a Suécia, devido à pandemia de coronavírus, condenou aqueles sem “imaginação ou vontade de se colocar no lugar de uma mulher ou homem de cor”, acrescentando que acredita que essas pessoas devem estar em minoria.

Ulvaeus comparou os protestos Black Lives Matter com o movimento #MeToo contra assédio sexual, dizendo que ambos “são sobre ver a pessoa ao seu lado como igual”.

“Vejo meus netos crescendo sem um pingo de veneno de racismo, e acho que eles continuarão assim”, acrescentou.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.