Bianca Jagger acusa Bono de trair espírito do Live 8

Os cantores Bob Geldof e Bono "traíram" o espírito da campanha contra a pobreza promovida pelos shows do Live 8 realizados em várias cidades do mundo, segundo a ativista nicaragüense Bianca Jagger.Em artigo publicado no semanário britânico de esquerda New Statesman, a ex-mulher do Rolling Stone Mick Jagger, defensora dos direitos dos menos favorecidos, pergunta se para "persuadir os políticos" é preciso "se deitar com o inimigo".Bianca afirma que "a admiração mútua entre Bono, Geldof, Blair e Bush - duas estrelas do rock e homens que gostariam de ser estas estrelas - foi o símbolo que ficará da reunião do G8", os sete países mais industrializados e a Rússia, realizada na semana passada na Escócia.A ativista diz que a "saturação televisiva" em torno dos shows do Live 8 ofuscou a grande manifestação realizada no mesmo dia na capital escocesa em protesto contra a injustiça global e do qual 225 mil pessoas participaram.Bianca Jagger diz ter ficado "horrorizada" ao ser informada de que o ministro da Economia britânico, Gordon Brown, participaria da manifestação de Edimburgo, em que ela também discursou. E afirma ter compreendido "o plano maquiavélico" de Blair e Brown para "neutralizar os esforços de centenas de ONGs", o que, segundo Jagger, conseguiram "graças à ajuda de Geldof e Bono".A nicaragüense acusa o governo britânico de ter "canalizado milhões (de libras) do orçamento destinado à ajuda ao desenvolvimento a consultorias internacionais, que aconselham os governos de países em desenvolvimento sobre como privatizar seus serviços públicos".Bianca Jagger afirma que na Escócia foram feitas "demandas concretas" aos líderes do G8 para que deixassem de "impor suas políticas neoliberais, que contribuíram para aumentar a pobreza no mundo em desenvolvimento". A nicaragüense se refere ao Banco Mundial, ao Fundo Monetário Internacional (FMI) e à Organização Mundial do Comércio (OMC) como a "trindade herege".A ativista justifica suas críticas pelo fato de ter nascido no segundo país mais pobre do hemisfério sul, a Nicarágua, e ter visto "em primeira mão o efeito devastador da pobreza nas vidas das crianças".Jagger diz que a "ambição cega de Bono e Geldof os levou a legitimar e elogiar Bush e Blair", a quem culpa por uma política que "causa a morte de pessoas inocentes no mundo em desenvolvimento".

Agencia Estado,

11 de julho de 2005 | 11h26

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.