BH vê "O Guarani" em versão inédita

Montagem inédita da ópera O Guarani, de Carlos Gomes, estréia no próximo domingo, no Palácio das Artes, em Belo Horizonte, com apresentações também nos dias 24, 26, 28 e 29. A montagem, realizada pela Fundação Clóvis Salgado, será mostrada em sua versão integral, recuperada a partir das partituras originais pelo maestro carioca Roberto Duarte, num trabalho que durou seis anos e que só agora foi definitivamente concluído. A cena de dança do terceiro ato - normalmente eliminada na maioria das montagens, por ser de difícil execução - também será mostrada, em coreografia assinada por Arnaldo Alvarenga.Peri, o principal personagem masculino, será vivido pelo tenor Eduardo Itaborahy, que já cantou esse papel em temporadas no Brasil e na Europa. Cecília, a moça por quem o índio se apaixona, será interpretado pela soprano Gabriella Pace, que faz sua estréia nesse papel. Com direção de Cleber Papa e regência do maestro Emilio De Cesar, a ópera será executada pela Orquestra Sinfônica de Minas Gerais, pelo Coral Lírico da Fundação Clóvis Salgado e pela Cia de Dança de Minas Gerais, todos corpos artísticos mantidos pela Fundação Clóvis Salgado. A cenografia é de Raul Belém Machado e os figurinos de Elena Toscano.Inspirada no romance de José de Alencar, a ópera O Guarani mostra o relacionamento entre índios e portugueses na época da colonização brasileira. O índio guarani Peri salva Cecília dos guerreiros aimorés que atacam o castelo de seu pai, um fidalgo português. Nasce uma forte ligação entre eles, mas Cecília já está prometida ao fidalgo Dom Álvaro.Serviço - O Guarani, ópera de Carlos Gomes. Com o Coral Lírico, Orquestra Sinfônica, Cia de Dança de Minas Gerais e solistas convidados. Dias 22 e 29 de setembro às 18h, dias 24, 26 e 28 às 20h. Ingressos: R$ 40,00 (Setor I), R$ 34,00 (Setor II) e R$ 24,00 (balcão). Estudante paga meia. Em Belo Horizonte, os ingressos podem também ser adquiridos na bilheteria do Palácio das Artes, ou por telefone (31 - 3237-7301), ou no 3º piso do BH Shopping.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.