BH: poucas e boas opções para o choro

Em Belo Horizonte, os fãs do chorinho têm duas boas opções para apreciar o estilo. Uma delas é o bar Pedacinho do Céu. O bar foi criado em 1996 em homenagem ao músico e compositor Waldir Azevedo, levando o nome de uma de suas obras. Segundo o proprietário e músico Ausier Vinícius, o bar nasceu como ponto de encontro e tornou-se uma verdadeira referência do chorinho em Minas Gerais. Freqüentado por "jovens de 10 a 90 anos", o bar já recebeu personalidades como Altamiro Carrilho, Ademilde Fonseca, João Nogueira, Paulinho da Viola e Zeca Baleiro. "Aqui é um botequim", lembra Ausier, "que acabou tornando-se um espaço de interação, de troca de experiências". De terça a sábado, o público tem diversão garantida com a performance do grupo Pedacinho do Céu, do qual Ausier faz parte, tocando cavaquinho. Ele garante que o sucesso do lugar se deve, em grande parte, ao fato de ser um dos poucos (senão o único) no Brasil que oferece apresentações ao vivo de chorinho praticamente todos os dias da semana.O juiz do trabalho aposentado Antônio Tanuri, de 53 anos, é freqüentador assíduo do Pedacinho do Céu. Uma vez por semana, pelo menos, ele e sua esposa vão até o bar para escutar ao vivo o bom e velho choro. Antônio sempre gostou de música, o que justifica o grande acervo de vinil e CDs que possui. "Às vezes meus filhos vão com a gente", diz, lembrando que desde jovem é apaixonado pelo gênero. Outra opção é o Bar do Bolão. Lá, tem chorinho todas as quintas-feiras, com o grupo Flor de Abacate. O proprietário Haroldo Reis já inaugurou o bar, em 1993, com show ao vivo de chorinho. Influência do pai, o Sr. Raimundo Reis, o "Bolão", exímio sete cordas. Hoje, o bar é freqüentado basicamente por "pessoas de idade e universitários", afirma Haroldo.A atração, o grupo de choro Flor do Abacate, formado em 1989, se destaca pela interpretação e arranjos de composições próprias e de autores famosos, como Pixinguinha, Hermeto Pascoal, Astor Piazzolla e Villa-Lobos. Pedacinho do Céu - Rua Belmiro Braga, 774, Bairro Caiçara. Informações pelo telefone (0__31) 462-2260. De terça a sábado, a partir das 18h. Música ao vivo a partir das 21h. Couvert de R$ 3.Bar do Bolão - Rua Vila Rica, 637, Bairro Padre Eustáquio. O bar funciona de segunda a sábado, a partir das 17h. Chorinho, que é bom só às quintas-feiras. Sem couvert.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.