Bezerra da Silva divide palco com Marcelo D2

O veterano Bezerra da Silva se tornou evangélico há dois anos, causando furor entre a malandragem. Afinal, para muitos, tal mudança significaria o fim de uma era de irreverência. No entanto, apesar de falar de Deus quase a cada nova frase, o sambista prova que mudou de crença mas não de atitude artística. "São coisas da vida, questão de fé. Sempre acreditei mas só agora me ajustei com o Evangelho." Meu Bom Juiz, o novo CD de Bezerra (gravadora CID), reforça suas convicções, ao fazer um apanhado de velhos sucessos e novidades, como Trem do Futuro e Produto Importado . O sambista faz show de lançamento desse trabalho, hoje, no palco do Urbano, e conta com a presença especial de Marcelo D2, que também faz participação no CD, na canção Garrafada do Norte.Produzido num estúdio do Rio, Meu Bom Juiz segue a fórmula quase sempre eficaz das gravações ao vivo, com platéia e tudo mais. "É a força do marketing: quando uma coisa dá certo, todo mundo vai atrás", diz. Para ele, não importa se seu disco é feito em estúdio ou ao vivo. O que importa é a qualidade do trabalho. E ponto final. Por isso, ele gosta de acompanhar todo o processo de feitura de seus álbuns. "Não tenho dinheiro para pagar mídia, os discos que eu gravo tocam (na rádio) na base da amizade e eu tenho um público que consome meu produto", observa. "Respeito muito esse público, porque ele confia em mim. E compra meu disco, porque é bom."Bezerra gosta de cantar coisas do povo, sofrido e marginalizado. Nada melhor para descrever os dissabores do dia-a-dia quem realmente vive essa realidade. "Não sou cantor de elite nem tento enganar a população com letras de amor." Por retratar justamente o universo popular, o músico diz que muitas vezes é tachado de maconheiro e bandido. Já leu até que faz apologia às drogas. "Comecei a rir." Ele diz não se importar com esse tipo de comentário. E seus hábitos contradizem a fama de malandro. "Não fumo maconha, não cheiro cocaína, não perco noite de sono, não bebo cachaça e parei de fumar há dez anos."Bezerra da Silva. Hoje, a partir da meia-noite. R$ 15 (mulher) e R$ 30 (homem). Espaço Urbano. Rua Cardeal Arcoverde, 614, tel. 3085-1001.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.