Beth e Lobão se oferecem para comissão

Termina nesta quinta-feira o prazo dadopela Casa Civil da Presidência para a indicação dos nomes quevão compor o grupo de trabalho da numeração de obrasintelectuais. São 16 representantes de diversas associações declasse e do governo. A cantora Beth Carvalho afirmou que vaipropor seu próprio nome e o do cantor Lobão para representar aMPB. "A classe toda sabe que estamos à frente, ninguém vaiachar errado", ela ponderou. Segundo Beth, os músicos vivem emturnê, não haveria tempo hábil para fazer uma reunião plenária eos nomes têm de ser indicados até quinta. "O mais sensato é que nós, que já estamos acompanhando o processo todo, sejamos osrepresentantes." O governo reconhece Beth Carvalho como interlocutoraoficial da MPB (tanto que é a ela que se reporta a Casa Civil daPresidência) e deve referendar sua indicação - a menos que hajaalguma discordância manifesta. O problema é Lobão. Ele tem um histórico de confrontoscom a indústria fonográfica e a Universal Music ameaçouprocessá-lo esta semana por não pagar direitos autorais a ZecaBaleiro, que gravou uma faixa no seu disco A Vida É Doce(1999). "Não é vingança, mas uma forma de mostrar que ele écontraditório, faz exatamente o contrário do que prega", disseum assessor da gravadora. Beth Carvalho lamentou ter de recomeçar a discussão dozero. "A classe artística encarou uma luta de 30 anos e, quandoestamos de cara para o gol, aí começam os ruídos", disse.Segundo ela, as cartas de Gilberto Gil e Rita Lee e daAssociação Brasileira de Produtores de Discos (ABPD) foram osprincipais "ruídos" criados, fazendo com que o presidentedecidisse vetar a emenda à lei da deputada Tânia Soares (PC doB-SE). "Mas agora já era, agora é ir para a luta, a lutacontinua", afirmou. A cantora disse que obteve a posição do governo no caso- há oito representantes do Estado na comissão - e que é umapostura "favorável aos artistas", e que, portanto, não haveráproblemas para a aprovação de uma nova lei. "O único lugar doqual eu não esperava falta de unanimidade era entre os própriosmúsicos", ela se queixou. Beth Carvalho ainda não sabe qual será a tramitação danova emenda à Lei do Direito Autoral, se terá de passar de novopor aprovação do Congresso ou se será feita por MedidaProvisória do governo. O decreto que criou o grupo de trabalhopara a discussão não esclarece isso, mas fixa um prazo de 30dias para a conclusão do novo texto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.