Beth Carvalho toca em São Paulo

Ela lançou 26 discos em 30 anos de carreira, foi responsável pelo resgate de Cartola e Nelson Cavaquinho, é madrinha de Zeca Pagodinho e Almir Guineto e se tornou a primeira mulher a gravar sambas com instrumentos eletrificados. Por muitos motivos, Beth Carvalho é considerada rainha por dez entre nove sambistas do País. Agora, mais que nunca, a cantora e compositora carioca quer reafirmar sua posição em um gênero que ajudou a dar forma no início dos anos 80.De gravadora e disco novos, Beth volta a São Paulo para uma apresentação única no Palco do Lago do Sesc Interlagos. Hoje, a partir das 11h, mostrará canções de seu recente álbum, Pagode de Mesa 2. O show, com preços simbólicos, entre R$ 2 e R$ 5, será transmitido ao vivo pelo programa Bem Brasil, da Rede Cultura.Gravado em setembro de 2000, durante uma apresentação na Tom Brasil, Pagode de Mesa 2 marcou a estréia da sambista na gravadora Indie Records, a mesma que operou um verdadeiro milagre na carreira do romântico sambista Jorge Aragão. Quando assinou contrato com a empresa, Aragão já era um nome só mencionado por partideiros das antigas. Pouco tempo depois, lançou Jorge Aragão ao Vivo - Volume 1,vendeu 750 mil cópias e foi parar em programas de auditório da Rede Globo.Até o momento, Beth Carvalho vendeu 80 mil cópias de seu recente trabalho. Pagode de Mesa 1, lançado pela gravadora Universal, da qual a cantora saiu por discordar da forma de tratamento dispensada a seus discos, está perto de bater as 120 mil cópias vendidas. Além das 16 faixas do novo trabalho, puxadas pelo hit Água de Chuva no Mar, a cantora deve incluir em seu repertório sambas antigos, como Coisinha do Pai, Camarão Que Dorme a Onda Leva e Dor de Amor.Beth Carvalho - Domingo, às 11 h. Sesc Interlagos (Av. Manoel Alves Soares, 1.100. Tel.: 5970-3500). Ingressos: de R$ 2 a R$ 5.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.