Belô Velloso ganha força de compositora

Depois de 15 anos de estrada, acantora e compositora Belô Velloso alegra-se por ter atingidouma fase da carreira em que não é mais reconhecida apenas como asobrinha de Caetano Veloso e Maria Bethânia. "Agora, souconhecida como Belô Velloso", ressalta ela, mesmo que seu nomecontinue sendo, inevitavelmente, ligado à respeitadíssima duplade tios. Ela não se importa, até se orgulha. As insegurançasficaram para trás, com o amadurecimento pessoal e profissional."Estou mais tranqüila, menos ansiosa. Mais feliz com minhacarreira e plena como cantora e compositora", diz ela.Em seu quinto e novo CD, Pegue ou Largue, Belôescancara sua faceta de compositora, que vinha desenvolvendo,discretamente, desde o segundo trabalho, Um Segundo. Ecomeçou despretensiosamente, numa parceria não planejada comCaetano. Naquela ocasião, ele havia feito uma canção para otrabalho da sobrinha, mas não encontrava tempo para colocarletra. Belô ouviu a melodia e, automaticamente, a composiçãoveio à cabeça. E teve a aprovação de Caetano.No álbum seguinte, MaRés, ela iniciou uma parceriacom Ana Flávia, que se estenderia até este Pegue ou Largue.A identificação de ambas pelas mais variadas vertentes musicaiscontribuiu para isso. O resultado está nas melódicas Rio dePortas Pro Mar, Areia Santa e Entre o Fogo e a Luz.Ana Flávia aparece ainda nos créditos da música Reencontro(que ganhou um bônus remixado na última faixa do CD), com SérgioMurilo e Ivan Miziara.Com o amigo Carlinhos Brown, Belô Velloso assina o xoteInflamável e Lua de Brown, numa evidente homenagem aoparceiro. "Gosto dele há muitos anos, desde que ele era sómúsico, antes de ser artista-solo. Com Carlinhos, não parece quese está trabalhando, mas sim numa festa", derrete-se ela."Adoro o jeito com que ele lida com a vida e a música."Outro mérito deste trabalho é a canção composta porAdriana Calcanhotto, que dá nome ao CD. A composição leva amarca de Adriana, com toda sua carga melancólica e emotiva. Aforça do título Pegue ou Largue chamou a atenção de BelôVelloso, a ponto de fazê-la batizar seu quinto álbum com ele."A Adriana me deu essa música de presente, ela compõemaravilhosamente bem e tem uma personalidade marcante",comenta. "E ela é bem assim: pegue ou largue. Eu também estouassim, imperativa." Belô, que já cantou muito AdrianaCalcanhotto e ganhou uma composição da própria, tem agora odesejo de compor uma música em parceria com ela.Pegue ou Largue traz também uma parceria "virtual" -que contou com auxílio de telefone e internet - de Belô com aamericana Janis Ian, na canção I´ve Always Told My Heart.Janis enviou a melodia e Belô ficou responsável pela letra."Primeiro, escrevi em português e passei para o inglês, paradar sensação de música folk, pela qual tenho paixão." Já emMadrugada, de Marcelo Quintanilha, ela compartilha os vocaiscom a cantora Vania Abreu.No repertório, tem destaque ainda duas releituras, umade Mãe, de Caetano, e outra de Sereia, de Lulu Santos eNelson Motta. Esta última, consagrada na voz de Lulu Santos,abandonou o tom originalmente pop melódico e ganhou uma levadamais bossa na voz de Belô. É o que ela gosta: de transitar pelosdiferentes gêneros musicais e não ser estigmatizada por um sóestilo. "Minha personalidade musical, hoje, étropicalista-tribalista. Tenho a sensação que a gente que fazMPB, faz tanta coisa diferente. É nessa MPB que eu acredito."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.