Belo ganha direito de cumprir pena em regime semi-aberto

Condenado em dezembro de 2003 a oito anos de prisão, em regime fechado, por tráfico de drogas e associação para o tráfico - decisão que saiu de desembargadores da 8ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio -, o cantor Marcelo Pires de Vieira, o "Belo", de 31 anos, ganhou na quarta-feira direito de cumprir a pena em regime semi-aberto, podendo sair todos os dias da cadeia, para trabalhar, retornando à noite para a cela.Belo está preso na carceragem da sede da Polinter, no Rio, desde novembro de 2004, quando foi encontrado pela polícia em um esconderijo no salão de jogos de sua casa, no Recreio dos Bandeirantes, na zona oeste do Rio. A defesa do cantor fez diversos pedidos de habeas-corpus, mas todos foram negados pelo Tribunal de Justiça. O cantor só poderá gozar do benefício depois que apresentar à Justiça uma proposta concreta de emprego.As suspeitas envolvendo Belo com traficantes surgiram a partir de grampos, autorizados pela Justiça, em abril de 2002. Os grampos revelaram conversas entre o cantor e Waldir Ferreira, o Vado, apontado pela polícia como gerente do tráfico na favela do Jacarezinho. Vado foi morto em agosto de 2002, durante confronto com policiais militares na favela.Na conversa, o homem pede a Belo R$ 11 mil para comprar o que chama de "tecido fino" - que seria, segundo a polícia, uma gíria para cocaína. Belo pedia em troca um "tênis AR", que seria, ainda de acordo com a polícia, um fuzil AR-15.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.