Belo canta em SP após deixar a prisão

Do xadrez para o palco, o cantor de pagode Belo se apresenta na madrugada deste sábado em São Paulo pela primeira vez desde que saiu da cadeia da Delegacia Anti-Seqüestro (DAS), no Rio de Janeiro, no último dia 12. O show será na boate Cenárius, em Interlagos, e amanhã à noite ele canta na Praia Grande, na Boulevard Chopperia. No dia 21, Belo se apresentou na Casa dos Artistas, no Rio, para um público de 4 mil pessoas que se emocionaram com o retorno do pagodeiro. Belo também se emocionou. "Estava com saudades de vocês. Hoje estou de volta para fazer a única coisa que eu sei, que é cantar". Ele só subiu ao palco, depois de um atraso de duas horas, depois de ser chamado pela noiva, a modelo Viviane Araújo. Hoje, o cantor poderá conferir como o público paulista se comportará depois de sua temporada na prisão. No Rio, ele foi recebido com carinho pela platéia, que cantou todas as músicas de seu repertório romântico, que inclui Mel, Ser Feliz de Novo e Antes de Dizer Adeus, entre outras. O ex-vocalista do Soweto foi preso em 5 de junho por suspeita de envolvimento com o traficante de drogas conhecido como Vado. No dia 4 de abril a polícia interceptou uma conversa telefônica em que o cantor pedia um "tênis da marca AR" - que a polícia interpretou como um código para se referir a um fuzil AR-15 - em troca de R$ 11 mil, que o traficante usaria para a compra de cocaína. A perícia confirmou que a voz era mesmo de Marcelo Pires Vieira, verdadeiro nome do cantor. No dia 11, Belo recebeu de um oficial de Justiça o alvará de soltura e deixou a delegacia dez quilos mais magro, a bordo de um carro importado, sem dar declarações à imprensa. Ele foi solto graças ao habeas-corpus concedido pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Marco Aurélio Melo, que considerou que o cantor não representa perigo para a sociedade, nem está procurando fugir da Justiça. Sua liberdade está assegurada até agosto, quando vai a julgamento. Serviço - Belo, na boate Cenárius. Avenida Robert Kennedy, 3.587, Interlagos. Tel. 3660-6746. Às 2h da madrugada deste sábado. Preço: de R$7 a R$10.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.