Belle & Sebastian lança disco e quer voltar ao Brasil

Mais cultuado no Brasil do que em sua própria terra, o grupo escocês Belle & Sebastian até hoje não acredita na recepção que o público brasileiro lhes ofereceu na sua visita ao País, no derradeiro Free Jazz Festival. "Foi o melhor público que já tivemos em nossa carreira", disse ao Estado o baterista Richard Colburn, falando por telefone na segunda-feira. É por conta dessa agradável lembrança, disse Colburn, que o grupo de Glasgow incluiu o Brasil em sua turnê do ano que vem. Então, garotos e garotas que gostam de camisetinhas com estampa Hello, Kitty, preparem-se: o Belle & Sebastian deve voltar no ano que vem, a bordo de um disco novíssimo, Dear Catastrophe Waitress (lançamento Trama).A crítica já saúda esse novo álbum como um dos melhores da banda escocesa desde If You´re Feeling Sinister. Produzido por Trevor Horn (conhecido por seus trabalhos com a dupla lesbo-teen T.a.t.u.), o sexto álbum do Belle & Sebastian parece às vezes fugir da sonoridade mais conhecida do grupo, ampliando sua faceta fofinha em busca de "subjects" um pouco mais profundos. "Acho que isso pode ter acontecido. O motivo deve ser o fato de que, nesse disco, mais pessoas contribuíram para as composições e os arranjos. Há mais sugestões de sons, tocados por mãos diferentes nos sintetizadores e computadores", disse o baterista Colburn. Ou seja: tiraram o controle remoto da mão do compositor-chefe do grupo, Stuart Murdoch, e o dividiram numa espécie de "democracia participativa" entre todos os outros integrantes.O Belle & Sebastian, conta Colburn, acabou de chegar de uma turnê pelos Estados Unidos e vai descansar. No ano que vem, volta à estrada e já tem marcados shows na Europa e no Japão. "Estamos conversando para fazer shows no Brasil, assim como também no México e na Califórnia. Nós nos divertimos de verdade no Brasil, todo mundo quer voltar."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.