Divulgação/Maloca Dragão
Divulgação/Maloca Dragão

Belchior será homenageado por amigos e músicos em festival de Fortaleza

Maloca Dragão, cuja programação se encerra neste domingo, 30, promoverá o espetáculo com canções do músico cearense morto aos 70 anos

Pedro Antunes, O Estado de S. Paulo

30 Abril 2017 | 17h55

FORTALEZA* - Nascido em Sobral, mas integrante do grupo de artistas conhecidos como “pessoal do Ceará” quando viveu em Fortaleza, Belchior será homenageado pelo festival Maloca Dragão, neste domingo, 30. 

A apresentação não integrava a programação, mas foi criada após a notícia da morte de Antônio Carlos Belchior, ocorrida neste sábado, 29, na casa onde morava, em Santa Cruz do Sul, no Rio Grande do Sul. 

A obra do artista de 70 anos será revisada por colegas e artistas da nova geração da música do Ceará a partir da meia-noite, no Palco Draga Dragão, montado próximo à Ponte dos Ingleses e ao Centro Cultural Dragão do Mar, na capital do estado. A performance terá início depois do show do Baiana System. 

O show chamado “Viva Belchior - tributo dos artistas cearenses ao rapaz latino americano” será aberto por Fausto Nilo, arquiteto e compositor, companheiro de Belchior. Ele irá ao microfone falar sobre o amigo. 

O guitarrista Fernando Catatau, que se apresentou no Maloca na sexta, 28, e sábado, 29, faz a abertura musical da homenagem. Passam por lá, na sequência, Rodger Rogério, Nayra Costa, Soledad, Mona Gadelha, Daniel Peixoto, Lorena Nunes, Ricardo Guilherme, Marcus Caffé, João do Crato, Cristiano Pinho e Victor Calíope (do Projeto Riviera). 

Belchior morreu na noite de sábado, 29, aos 70 anos. Desaparecido por conta de dívidas, ele vivia há um ano e meio na cidade do Rio Grande do Sul. Conforme informou a Brigada Militar, a morte do cantor e compositor foi causada por apneia enquanto dormia. 

* O repórter viajou a Fortaleza a convite do festival Maloca Dragão 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.