Beatles vão relançar "Let It Be"

Os minutos finais da carreira musicaldos Beatles voltam à tona nos próximos tempos. Sim, o baú semfundo do quarteto inglês vai gerar mais um produto requentado,mas desta vez o lançamento tem mais pedigree do que as recentescompilações de maiores hits. O disco Let It Be ganha umaversão diferente da que foi lançada em 1970, sem asorquestrações incluídas pelo lendário produtor Phil Spector, quedividiram as opiniões do grupo. O resgate da versão original doálbum acabou detonando a famosa investigação que chegou a descobrir, há poucos dias na Holanda, mais de 500 fitas feitas duranteos ensaios para a gravação do trabalho.Os Beatles passaram o mês de janeiro de 1969 ensaiando em umestúdio para um álbum ao vivo e um filme. Câmerasregistravam o processo, um momento em que a banda passava poruma crise, detonada por problemas de ego e ainda pela mortesúbita do empresário deles, Brian Epstein, em 1967. A bandatentava resgatar o clima do início da carreira, depois de umalonga temporada longe dos placos, ao mesmo tempo em que tentavavoltar para uma sonoridade mais básica.As fitas com as gravações tiradas da mesa de som, de altaqualidade, já foram garimpadas e geraram várias faixas que foramparar no Anthology 3, de 1996. Os rolos que foramencontrados há poucos dias em um galpão que escondia váriosmateriais roubados contêm as gravações feitas com um microfone,que serviria como som direto do filme. A qualidade musicaldelas, em mono, dificilmente vai satisfazer os puristas hoje emdia, mas o retrato do fim da carreira dos Beatles vale ouro. Nasfitas (que estavam sumidas havia mais de 30 anos e já forampirateadas, mas são raríssimas de se encontrar), Lennon,McCartney, Starr e Harrison discutem sobre vários temas e tentamencontrar um caminho para o trabalho da banda.Também estão lá as sementes do que seria o disco Abbey Roade dos trabalhos-solos que viraram realidade no início dos anos70. Seria possível ainda perceber o descaso de Lennon eMcCartney pelo talento de composição de Harrison.Let It Be acabou sendo finalizado apenas um ano depois. A banda já estava se separando na época, e Lennon chamou Spector paraeditar o material. O produtor escolheu apenas dez faixas dovasto material gravado pela banda em estúdio e também ao vivo.Ele também foi atrás de Across the Universe, um refugo de1968, e I Me Mine, escrita por Harrison e remontada peloprodutor. Ele recheou as duas faixas e também The Long andWinding Road com metais e orquestras - o que teria deixadoMcCartney "furioso".A nova versão do álbum, que chega ao mercado em breve, vaidevolver o caráter original das músicas. Segundo Ringo, a idéiaera mostrar para o público que as canções tinham umasimplicidade "delicada". "Paul era totalmente contra ainterferência de Phil", disse o baterista à revista americanaRolling Stone. "O duro vai ser agüentar ele dizendo ´eu tedisse, eu te disse´!", brincou.Quanto às fitas recuperadas na Holanda, elas devem ser usadasinicialmente para a versão em DVD do filme Let It Be, quetem lançamento previsto para o segundo semestre. Outrasramificações devem aparecer, mas não antes da gravadora Applefazer um longo e detalhado estudo de tudo o que está nos rolos.Yoko Ono acha que podem sair lançamentos futuros dali, masninguém está com pressa para finalizar nada, afinal, o legadodos Beatles ainda tem de ser explorado por muitos e muitos anos.Os fãs precisam ter paciência.

Agencia Estado,

31 de janeiro de 2003 | 15h24

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.