Kirsty Wigglesworth/AP
Kirsty Wigglesworth/AP

Beatlemania é esmiuçada com imagens inéditas em 'The Beatles: Eight Days a Week'

Paul McCartney e Ringo Starr se reúnem na estreia de documentário sobre o quarteto de Liverpool

Sarah Yañez-Richards, EFE

18 de setembro de 2016 | 09h00

Paul McCartney e Ringo Starr assistiram nesta quinta-feira (15) à estreia mundial de The Beatles: Eight Days a Week, documentário com imagens inéditas mostrando as excursões do quarteto de Liverpool, desde seu início nessa cidade até o último show nos Estados Unidos.

Pelo tapete vermelho, neste caso azul, de Leicester Square, uma praça no West End londrino, passaram um sóbrio, mas elegante McCartney e um Ringo roqueiro, com seus inseparáveis óculos de sol.

Além dos dois integrantes vivos do quarteto de Liverpool, também estiveram presentes na estreia Yoko Ono e Olivia Harrison, as viúvas de John Lennon (1940-1980) e George Harrison (1943-2001).

Durante o evento foram vários os cinemas internacionais que se conectaram ao vivo com a apresentação em Londres do filme dirigido por Ron Howard, vencedor de dois Oscar por Uma Mente Brilhante (2001).

O filme, que só será exibido nos cinemas até o dia 22 de setembro, revela quatro anos da vida dos Beatles, que vão desde suas primeiras apresentações no Cavern Club (1962), de sua cidade natal, até seu último grande show no Candlestick Park (1966), na cidade de San Francisco.

Neste período, a banda fez 166 shows em 15 países e 90 cidades, e o documentário mostra a pressão e histeria dos fãs que rapidamente cercaram a banda, um dos motivos pelos quais seus integrantes decidiram não fazer mais turnês e concentrar-se nas gravações em estúdio.

O título do documentário, Eight Days a Week, faz referência à música homônima composta por Lennon e McCartney em 1964, para o álbum Beatles For Sale.

Como complemento ao documentário também foi exibido um filme de meia hora de duração a respeito do primeiro show dos Beatles em Nova York, em 15 de agosto de 1965. O som desse show foi remasterizado para que a música ficasse mais alta que os gritos de euforia das 55.000 pessoas presentes.

Paralelamente à estreia do filme, foi lançado no dia 9 de setembro o álbum The Beatles: Live at the Hollywood Bowl, com material que estava fora de catálogo há anos e cobre as três apresentações da banda no local do título, em Los Angeles, nos anos de 1964 e 1965.

A popularidade dos Beatles chegou a tal ponto que a “beatlemania" se transformou em tendência entre os jovens da época, e o mítico conjunto alcançou recordes de vendas de discos na década de 1970. Paul, John, George e Ringo se estabeleceram como banda profissional em 1961, quando Brian Epstein, conhecido como “5º Beatle”, se ofereceu como empresário deles. Um ano mais tarde, com a ajuda de George Martin, a banda teve seu primeiro sucesso comercial com Love Me Do. Ao longo da carreira, foram premiados com sete Grammy e quinze prêmios Ivon Novello. O fim da banda se dá a partir de abril de 1970, quando Paul anuncia sua saída do conjunto e apresenta uma ordem judicial para dissolver o grupo.

No dia 31 de dezembro daquele ano os Beatles se desfizeram definitivamente. Um dos eventos mais tristes envolvendo membros da banda foi a morte de Lennon, dia 8 de dezembro de 1980, assassinado por um desequilibrado que o atingiu com cinco disparos na entrada da residência do músico, no edifício Dakota, em frente ao Central Park, Nova York.

A banda que se tornou ícone do século 20 perdeu o segundo de seus membros em novembro de 2001, quando Harrison morreu de câncer de pulmão. Até hoje, as canções dos Beatles continuam a tocar em todos os lugares do mundo e ainda fazem dançar, sonhar e cantar pessoas de todas as gerações.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.