Barítono alemão apresenta-se em SP

Em um século que assistiu à consagração do barítono Dietrich Fischer-Dieskau, firmar-se como um dos expoentes da interpretação do lied não é pouca coisa. No entanto, com uma voz poderosa e um repertório amplo, o alemão Matthias Goerne, que faz três apresentações no Teatro Cultura Artística, tem se revelado um sucessor à altura de Dieskau, com quem estudou durante alguns anos de sua carreira.Os programas escolhidos para as três apresentações em São Paulo mostram porque Schubert é considerado o compositor que melhor traduziu a arte do lied. Terça, Goerne canta Die Schöne Müllerin (A Bela Moleira). Na quinta, Schwanengesang (O Canto do Cisne) e An Die Ferne Geliebte, de Beethoven. No último recital, na segunda-feira, Goerne interpreta Die Winterreise (A Viagem de Inverno). Em todas as récitas o acompanhamento será do pianista Eric Schneider.A preocupação em alcançar níveis artísticos cada vez mais altos, uma das marcas da carreira de Goerne, não surgiu por acaso: entre seus professores estão alguns dos principais cantores líricos do século, como o próprio Fischer-Dieskau e a soprano Elisabeth Schwarzkopf. Outra grande influência em sua carreira foi o pianista Alfred Brendel, com quem ele colaborou em diversos recitais e gravações, em especial.Com Vladimir Ashkenazy, Goerne já gravou os ciclos Dichterliebe e Liederkreis opus 24, de Robert Schumann, levando a crítica especializada do jornal inglês The Guardian a considerar esta uma das "melhores interpretações gravadas de Schuman".No entanto, Goerne não tem limitado suas apresentações e gravações ao lied alemão. Com Claudio Abbado, ele participou de uma montagem de A Flauta Mágica em Salzburgo, no papel de Papageno. O mesmo papel ele repetiu na temporada 1998/ 1999 do Metropolitan Opera House, de Nova York.Goerne já cantou, também, o papel título de Der Prinz von Hamburg, de Hanz Werner Henze além de Marcello, em La Bohme e Wolfram em Tanhäuser. E, no ano passado, foi elogiada a sua interpretação de Wozzeck na ópera de mesmo nome de Alban Berg, na Ópera de Zurique, sob a direção de Christoph Von Dohnányi. Matthias Goerne. O barítono alemão é acompanhado pelo pianista Eric Schneider. 3.ª, 5.ª e 2.ª, às 21h. De R$ 40 a R$ 100. Teatro Cultura Artística - Sala Esther Mesquita. Rua Nestor Pestana, 196, tel. 258-3616

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.