Barenboim prometeu ensinar música aos palestinos

O pianista e maestro Daniel Barenboim prometeu nesta quinta-feira que vai ajudar jovens palestinos a aprender música clássica e endossou seu desejo de ter um estado próprio. Barenboim deverá receber o pretigioso Prêmio Wolf numa cerimônia anunciada para o domingo, no parlamento israelense. O músico nascido na Argentina e residente em Israel disse que doará US$ 100 mil para um conservatório palestino de Ramallah.Apesar da informal proibição israelense contra a apresentação de obras do compositor alemão Richard Wagner, o favorito de Adolf Hitler, Barenboim dirigiu uma peça de Wagner em Jerusalém em 2001, e quase teve sua premiação suspensa por causa disso.Em entrevista à imprensa, Barenboim disse hoje que o aprendizado da música não deve ser confinado a locais onde reine a paz e a prosperidade. "É a primeira coisa de que necessitam os seres humanos", afirmou.Barenboim disse que os palestinos têm direito a ter seu próprio estado, assim como os judeus tem o estado de Israel, e criticou o muro que Israel levanta ao longo da fronteira com a Cisjordânia e dentro do território cisjordâneo. "Este conflito não pode ser resolvido por meios militares nem por separações artificiais", declarou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.