Barbara Hendricks canta no Ibirapuera

A soprano Barbara Hendricks caminhaa passos curtos, como se deslizasse no solo. Ao falar, sussurraas sílabas, preocupada em ser corretamente compreendida. E,quando isso acontece, exibe um sorriso que se espalha por seurosto, lenta e tranqüilamente, transformando essa senhorabasicamente normal em uma mulher encantadora. Uma das maiorescantoras líricas do mundo, Barbara Hendricks participa de umaapresentação gratuita no domingo, às 11 horas, no Parque doIbirapuera, zona sul de São Paulo. "Fico fascinada com apresentações ao ar livre, poisalém de reunir um público com interesses diversos, é um desafiopara quem canta, pois não há proteção adequada contra sol echuva", comenta Barbara, a principal atração do Avon Women inConcert, projeto cultural que está em sua quinta edição ereforça a ligação primordial da empresa com o público feminino.Assim, a soprano vai estar acompanhada da Orquestra Filarmônicade Mulheres, cuja regência será da maestrina Cláudia Feres. Aúnica presença masculina será a do tenor italiano AlessandroSafina, que ganhou notoriedade pela gravação de Luna, um dostemas da novela O Clone. Por se tratar de um evento essencialmente popular,Barbara não vai apresentar as especialidades de seu repertório,que são as composições de Mozart - desde a Susanna de As Bodasde Fígaro, que ela cantou em 1978 em Berlim em sua primeiragrande aparição no cenário internacional, a obra do compositoraustríaco relaciona-se admiravelmente com sua carreira, emóperas como A Flauta Mágica e Idomeneo. "Gosto muito deóperas, mas também sou uma intérprete de canções, que decidicantar por sentir uma imensa curiosidade." Tributos - De fato, ela já flertou com o jazz e cançõespopulares americanas, gravando discos tão diversos como umtributo a Duke Ellington até uma seleção de músicas de WaltDisney. "Essas, eu gravei a pedido de meus filhos, que adoramessas canções", contou Barbara, sem se importar com o nariztorcido dos críticos mais severos - seu critério é seguir asensibilidade. Assim, fez questão de incluir no programa que vaiapresentar no Ibirapuera duas composições de Villa-Lobos,Trenzinho do Caipira, que vai ser executado apenas pelaOrquestra Filarmônica de Mulheres, e Bachianas Brasileiras n.º5, que já inspirou até a gravação de um CD. Antes do compositor brasileiro, a abertura do concertoserá feita com a execução de Viagem ao Centro da Terra, deRick Wakeman. Em seguida às músicas de Villa-Lobos, a orquestraapresenta a abertura da Carmen, de Bizet, até a volta deBarbara, com O Mio Babbino Caro, de Puccini. Do mesmocompositor, ela vai cantar O Soave Fanciulla, agora ao ladode Alessandro Safina. Antes de apresentarem juntos Beviam,de Verdi, Barbara interpreta Habanera, de Bizet. Em seguida, Safina vai trazer à lembrança a personagemvivida por Vera Fischer em O Clone ao cantar Luna. Acanção marca a mudança no repertório, que envereda para cançõesmais populares. É o que vai anunciar a orquestra ao interpretarAmerica, de Leonard Bernstein, preparando a volta de Barbaracom Summertime e It Ain´t Necessarily So, ambas deGershwin. Safina apresenta Maria (Bernstein), depois de Barbaracantar I Feel Pretty (Bernstein), e a dupla encerra comTonight (Bernstein). Descontração - "O que norteou a escolha foram peças dealto nível", comenta o maestro Júlio Medaglia, diretorartístico do projeto. "Como se trata de um espetáculo ao arlivre, era preciso montar um repertório descontraído." Segundoele, foi a própria cantora que fez questão de incluir asBachianas, de Villa-Lobos. Barbara também aprovou a proposta de dividir o palco comAlessandro Safina, com quem cantara junto apenas uma vez, em1991. "É sempre um prazer dividir o palco com ela, que inspiraqualquer cantor com sua voz maravilhosa", comentou Safina, quese confessou surpreso com o sucesso alcançado por Luna, oauge em seu projeto musical de unir o pop com ópera. "Quandogravei a canção, não fiz com a finalidade de servir uma novelade televisão, mas o resultado foi muito bom." Além da presença masculina, outra novidade nesta ediçãodo Avon Women in Concert é o trabalho específico de umcenógrafo. Responsável pelo projeto do cenário, Cyro Del Nerodecidiu privilegiar as mulheres que estarão no concerto. "Assim projetei espaços altos para mostrar a orquestra, quenormalmente vive no anonimato", comenta ele, que adotou umestilo barroco ao projetar um palco para um concerto de câmara. Antes de se apresentar em São Paulo, Barbara Hendricksfaz um concerto ao ar livre neste sábado, em Curitiba. E participade um recital fechado, na segunda-feira, em Brasília. Segundo ovice-presidente de marketing da Avon, Saulo Nunes, o custo foide R$ 1,7 milhão, amparado pelas leis de incentivo.Serviço - Avon Women in Concert. Domingo, às 11 horas. Parque doIbirapuera - Praça da Paz. Avenida Pedro Álvares Cabral, s/n.º

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.